Corregedoria Geral da Justiça realiza correições ordinárias nas comarcas de Inhuma e Paulistana

De acordo com o cronograma previamente estabelecido a Corregedoria Geral de Justiça do Estado do Piauí (CGJ-PI) realizou correições ordinárias nas comarcas de Inhuma e Paulistana entre os dias 13 a 17 de setembro. Coordenadas pelo magistrado e juiz auxiliar da corregedoria, Antonio Oliveira, as atividades foram promovidas de forma presencial.

O juiz auxiliar da Corregedoria pontou a importância desse processo, desde a escolha da unidade, o cronograma, o roteiro e os prazos da correição. “Quando falamos em correição, lembramos também do trabalho que estamos realizando durante essa trajetória de co-gestão na Capital e nos municípios piauienses. O objetivo das correições é o de colaborar e orientar as unidades judiciárias de todo o estado  para uma melhoria da entrega da prestação jurisdicional. Nesse, processo também são realizadas a verificação e o levantamento das necessidades das unidades escolhidas”, explica o magistrado.

O juiz titular da Vara Única de Inhuma, magistrado Expedito Costa Junior, enfatizou a importância dos atos correicionais no sentido de direcionamento e auxílio das unidades judiciárias, bem como a satisfação com os trabalhos realizados pela a equipe na comarca. “É com grande satisfação que parabenizo os servidores pelo comprometimento e empenho diário ao realizar suas atividades funcionais. A unidade encontra-se de prontidão para colaborar com os trabalhos correicionais”. Pontuou o juiz.

O magistrado Denis Deangelis Brito Varela, juiz titular da Vara Única de Paulistana, também enfatizou  a importância das correições. “Nossa unidade encontra-se de à disposição para colaborar nos trabalhos correicionais e, posteriormente, cumprir as determinações da Corregedoria. Dentre as dificuldades observadas na unidade, há a deficiência no número de oficiais de justiça para o atendimento da demanda oriunda da Vara Única  do Juizado Especial”, relatou o juiz titular.

Para o corregedor-geral da Justiça, desembargador Fernando Lopes, os trabalhos correicionais ajudam a sanar dificuldades nas diversas unidades judiciárias e a apurar e disseminar boas práticas. “Nossa gestão tem buscado a resolutividade dessas dificuldades que as unidades judiciárias de primeiro grau vivenciam; nossa equipe está atenta para que os desafios sejam vencidos, proporcionando voz aos jurisdicionados e alinhando boas práticas”, declara o desembargador-corregedor.

Fonte: Corregedoria Geral da Justiça-PI

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *