15 anos depois, acusado de matar mototaxista em Santana-PI é condenado a 24 anos de prisão

Quinze anos após matar o mototaxista Edilson Virgulino Neto, Francisco Manoel da Silva, mais conhecido por Chico Porém, sentou no banco dos réus na manhã desta terça-feira, 13 de agosto.

O júri popular aconteceu no Fórum de Picos e reuniu familiares da vítima, que durante esse período cobraram incessantemente a condenação do acusado, que respondia em liberdade.

Foto: Jaqueline Figueredo

O crime aconteceu no dia 07 de maio de 2004 no povoado Lagoa Seca, zona rural de Santana do Piauí. Na ocasião a vítima estaria transportando a amante do acusado.

Chico Porém, disparou quatro vezes contra a vítima, além de desferir onze facadas e dar uma pedrada em sua cabeça. O crime, que foi motivado por ciúmes, foi cometido por engano, pois o mototaxista que o réu queria matar seria Silas de Moura Martins, mais conhecido por Matuto, pessoa com a qual ele acreditava que a amante estaria tendo um caso.

Chegado o fim do julgamento, o réu foi condenando há 24 anos de reclusão em regime fechado, pelas agravantes de homicídio qualificado, por motivo torpe, sem que o acusado desse chances de defesa a vítima.

De acordo com o advogado de acusação, Elias Cipriano, a sentença foi favorável e a família ficou satisfeita.

“Este foi um crime que passou muito tempo sem julgamento, onde a família aguardava por um desfecho. Por várias vezes a defesa conseguiu manobras para que júri demorasse a acontecer e graças a Deus conseguimos fazer justiça”, disse a acusação.

Após receber a condenação, Chico Porém foi encaminhado diretamente para a Penitenciária José de Deus Barros.

Foto: Jaqueline Figueredo

A defesa do réu, afirmou que irá recorrer da pena. “Discordo da decisão dos jurados, assim como do decreto de prisão preventiva. Farei a adoção das medidas necessárias buscando a liberdade do meu cliente. A sentença foi muito alta e não considerou confissão. Houve uma falha no calculo da pena”, disse o advogado Luís Bezerra.

O profissional afirmou eu esperava que o seu cliente fosse absolvido. “O Advogado é o profissional da esperança, eu aguardava a absolvição ao no mínimo a desclassificação por homicídio simples, que era o que indicava a prova dos altos”.

 

Fonte: Picos4ograus

 

Compartilhe:
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *