Agespisa descobre novos furtos de água na adutora Poço de Marruá

Com 120 quilômetros de extensão, a adutora Poço de Marruá abastece as cidades de Patos, Jacobina do Piauí, Caridade, Simões e Curral Novo, captando água na barragem de Poço do Marruás, em Patos do Piauí.

Desde que foi inaugurada, a adutora sofre com diversos “gatos” em sua estrutura. As ligações clandestinas roubam a água que deveria abastecer cidades que sofrem com a seca ano após ano. “Simões está recebendo 50% da água que sai da barragem por conta da grande quantidade de desvios flagrados. São canos de 32 e 60 milímetros ligados na tubulação da adutora”, diz o diretor da Agespisa em Picos.

Com capacidade de 300 milhões de metros cúbicos de água, a adutora teria capacidade de abastecer as cidades de Simões, Curral Novo, Patos, Jacobina e o povoado Ingazeira, Zona Rural de Caridade do Piauí. Apesar da capacidade da adutora, muitas comunidades e diversos pontos das cidades citadas sofrem com o desabastecimento d’água provocado pelas ligações clandestinas.

Furto de água na adutora Poço do Marruá
Furto de água na adutora Poço do Marruá

Na última semana, a Agespisa juntamente com auxílio da força policial encontrou e desativou diversos desvios de água entre Simões e Caridade do Piauí.

Como se não fosse pouco, além do furto constante de água na região, os infratores também deixam diversos pontos de vazamento na adutora que é enterrada e torna mais difícil descobrir um vazamento.

O roubo de água na região de Simões além de servir para abastecer açudes e criatório de peixes também serve para abastecer carros-pipas que vendem a água na região.

Por Riachãonet

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *