Atlético-MG empata com o Ceará e recupera liderança do Brasileiro

Em jogo movimentado, que terminou 2 a 2, time mineiro saiu na frente, com gol de bicicleta, sofreu virada e empatou mesmo com um a menos.

Os 10 desfalques por causa da covid-19 não foram suficientes para impedir que o Atlético-MG voltasse à liderança, por pontos ganhos, do Brasileiro. Em jogo movimentado, a equipe mineira empatou com o Ceará, por 2 a 2, neste domingo (22), no Castelão, em Fortaleza, e chegou aos 39 pontos. O time mineiro terminou o jogo com um a menos, após a expulsão de Borrero, aos 24 da etapa final.

O Atlético começou o jogo com um ponto a menos do que o Flamengo, que venceu o Coritiba no sábado. Agora está em primeiro, com mais vitórias. Já o Ceará se distanciou um pouco da zona de rebaixamento, chegando a 25 pontos.

Os gols do Atlético-MG foram marcados por Eduardo Sasha, aos 28 do primeiro tempo, de bicicleta, e Keno, aos 27 do segundo, de pênalti. O Ceará, que chegou a virar o placar no início do segundo tempo, fez com Lima e Vizeu, o primeiro dele com a camisa do Ceará.

A vantagem inicial no placar traduziu o maior ímpeto ofensivo do Atlético-MG naquele momento, quando insistiu em buscar brechas na boa marcação do Ceará.

Foi um jogo de idas e vindas. No início, o time cearense dificultava, principalmente as avançadas pela esquerda, ponto forte do Atlético, com Arana e Keno. O lateral Samuel Xavier, o volante Fabinho e o meio-campista Charles fechavam pelo setor.

Mesmo sem a presença do técnico Jorge Sampaoli no banco, também diagnosticado com a covid-19, o Atlético buscou as variações e abria espaços avançando também pelo meio e pela direita.

Segundo tempo movimentado

No segundo tempo, no entanto, o Ceará começou mais agressivo, com Léo Chu entrando no lugar de Charles e desmantelou a marcação atleticana. Foi o Atlético-MG, então, que ficou acuado, com a surpreendente substituição, já que Charles estava funcionando mais como mcarcador.

E aos três minutos, Chu, em jogada individual, tocou para Lima que, na saída do goleiro fez 1 a 1. A liberdade encontrada por Chu mostrou como o Atlético-MG afrouxou a marcação, já que Samuel Xavier se viu mais livre para avançar. E após cruzamento dele, Vizeu, da pequena área, fez 2 a 1 e acabou se contundido, sendo substituído.

O Ceará continuou ameaçando, tendo perdido outras oportunidades, em jogadas de velocidade pelas beiradas, como a de Vina, que perdeu gol mesmo finalizando da pequena área. Aos 24, Borrero foi expulso, após subir em disputa, com os braços abertos, deixando o Atlético-MG com 10 jogadores.

No minuto seguinte, porém, Marrony, que substituiu Zaracho, recebe em velocidade e sofre pênalti de Prass. Keno cobrou com categoria e empatou: 2 a 2.
Curiosamente, o Ceará recuou e o Atlético passou a pressionar.

Marrony quase marca aos 28, e, em velocidade ameaçava a defesa do Ceará, que tinha Tiago com o amarelo. Mas, na parte final, nestas idas e vindas, o Ceará voltou a ameaçar, tendo um gol anulado, com Vina impedido.

Na próxima rodada, a 23ª, o Atlético recebe o Botafogo, na quarta-feira (25), às 21h30. O Ceará joga na segunda-feira, dia 30, às 18h, contra o Vasco, no Rio de Janeiro. Antes, porém, enfrenta o São Paulo, em Fortaleza, na próxima quarta-feira (25), às 19h15, em jogo válido pela 16ª rodada.

FICHA TÉCNICA
CEARÁ 2 x 2 ATLÉTICO-MG

Local: Arena Castelão, em Fortaleza (CE)
Data e horário: domingo, 22 de novembro, às 16h
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis e Alex Ang Ribeiro (ambos de SP)
VAR: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Cartões amarelos: Samuel Xavier, Tiago, Eduardo Brock, Bruno Pacheco (Ceará); Guilherme Arana (Atlético-MG)
Cartão vermelho: Borrero (Atlético-MG)
Gols: Eduardo Sasha, aos 28 do primeiro tempo; Lima, aos 2, Felipe Vizeu, aos 10 e Keno, aos 27 (pênalti), aos 27 do segundo tempo.

CEARÁ: Fernando Prass; Samuel Xavier, Tiago (Klaus), Eduardo Brock e Bruno Pacheco; Charles (Léo Chu), Fabinho, Fernando Sobral, Lima (Leandro Carvalho) e Vina; Felipe Vizeu (Cléber). Técnico: Guto Ferreira

ATLÉTICO-MG: Rafael; Talison (Bueno), Igor Rabello, Júnior Alonso e Guilherme Arana; Borrero, Calebe (Nathan) e Zaracho (Marrony); Savarino (Marquinhos), Eduardo Sasha (Hyoran) e Keno. Técnico: Leandro Zago

 

Por R7

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *