Geral

Bancário suspeito de roubar R$ 1,2 milhão de agência em Teresina é preso ao tentar fugir

Um gerente do Banco do Brasil foi preso nesta terça-feira (31) transportando dinheiro que teria sido roubado da agência onde trabalhava, na rua 13 de maio, no Centro de Teresina. A prisão aconteceu na região do município de Camocim, no litoral do estado do Ceará.

De acordo com informações do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), inicialmente a gerência do banco acionou a polícia por suspeitar que o funcionário havia sido vítima de sequestro. À polícia, a agência bancária informou que percebeu um desfalque de R$ 1,2 milhão, tendo como principal suspeito o funcionário.

Após as diligências, o homem, que não teve a identidade divulgada, foi localizado transportando cerca de R$ 10 mil em dinheiro dentro de um carro. Ao ser abordado, ele não soube explicar a origem dos valores e acabou preso. Na residência do bancário, em Teresina, a polícia encontrou ainda cerca de R$ 20 mil, que também teriam sido subtraídos. Os policiais ainda encontraram a chave do cofre da agência bancária.

“O banco procurou o Greco e relatou que havia indícios que um funcionário poderia estar sendo vítima de alguma modalidade de crime. Iniciamos o trabalho de investigação e descartamos essa possibilidade. No decorrer do trabalho, recebemos a informação que ele estava no estado do Ceará. Acionamos a polícia de lá e ele foi abordado”, destacou o delegado Charles Pessoa, coordenador do Greco.

Segundo o delegado Charles Pessoa, o funcionário preso atuava como Gerente Substituto no Banco do Brasil e tinha acesso ao cofre. “Esse funcionário era o responsável, era o Gerente Substituto. Na última sexta-feira e segunda-feira, era ele quem tinha controle da situação financeira do cofre e já solicitamos um relatório técnico para precisar o valor exato subtraído e o banco ficou de nos fornecer”, explicou.

Quando a polícia descartou a possibilidade de ele estar sendo alvo de criminosos, conseguiu identificar que o gerente estava indo para o estado do Ceará. Entrou em contato com a polícia cearense e localizou o gerente em Camocim, local onde ele relatou que iria ficar. Ao ser preso, o bancário afirmou estar em surto psicótico. Ele foi conduzido para Teresina onde passará por audiência de custódia e responderá pelo crime de peculato.

“Quando foi conduzido ele relatou um surto psicótico, ele alega que iria para realmente para Camocim. Na própria residência dele apreendemos um dinheiro, e pelas informações esse dinheiro apreendido na residência e no veículo dele fazem parte desse dinheiro subtraído”, destacou.

A família do gerente afirmou para a polícia que não tinha conhecimento do crime, e que achava que ele estava trabalhando.

O Greco solicitou um relatório técnico do banco para saber se o valor encontrado com o funcionário foi retirado apenas na segunda-feira ou se é resultado de uma ação realizada ao longo dos últimos dias. A apuração também deve apontar se o bancário seria o responsável pela retirada dos demais valores apontados pela gerência do banco.

A Secretaria de Segurança Pública se manifestou sobre o caso através de nota: 

A Polícia Civil do Piauí, por meio do Grupo de Repressão ao Crime Organizado, prendeu na última terça-feira (31/01), um funcionário de uma instituição bancária por crime de peculato.

A prisão se deu após a polícia, o banco acionou o Greco para informando que havia indícios  que um de seus funcionários estaria sendo vítima de um crime na modalidade “sapatinho”.

Iniciado o trabalho de investigação, policiais do Greco descartaram essa possibilidade. A equipe policial do Piauí conseguiu localizar o funcionário na cidade de Camocim-CE, solicitando apoio a Polícia Militar do Ceará. O funcionário foi abordado por policiais do estado vizinho e no veículo do mesmo foi encontrado dinheiro e uma chave de um dos cofres da agência. Diante dessas informações, policiais do Greco foram a residência do funcionário e lá foi apreendida outra quantia de dinheiro. A instituição bancária contabiliza um desfalque de R$ 1.200.000,00 (um milhão de duzentos mil reais), sendo o principal suspeito o funcionário.

Banco do Brasil se manifesta

Cidadeverde.com entrou em contato com a assessoria de imprensa do Banco do Brasil, que informou que após tomar conhecimento do caso, acionou a polícia e que está colaborando com a investigação.

“O Banco do Brasil acionou a polícia tão logo tomou conhecimento do acontecido, e segue colaborando com as investigações. Mais informações sobre a ocorrência devem ser buscadas junto à autoridade policial”, informou.

Fonte: Natanael Souza e Tiago Melo/Cidade Verde

 

WhatsApp do Portal Saiba Mais: (89) 99922-3229

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Portal Saiba Mais