Carreguei o Piauí comigo na final”, diz vice-campeã do MasterChef

A piauiense ganhou uma bolsa de estudos no Canadá

A piauiense Lorena Dayse ficou em segundo lugar na sexta temporada do MasterChef Brasil após a avaliação dos jurados Henrique Fogaça, Paola Carosella e Erick Jacquin. Na grande final, ela preparou um menu batizado como Uma Viagem pelo Piauí, mostrando o melhor de sua cozinha regional.

De entrada, Lorena cozinhou um ravióli de vinho branco recheado com caranguejo e emulsão de bacuri; já o prato principal foi um carneiro ao leite de coco e baião de dois de feijão verde; e de sobremesa ela serviu crumble de mel com pólen, sorvete de coco e abacaxi na cachaça com chantilly de mel.

Além de acumular R$ 8,5 mil em vitórias durante a temporada, Lorena será premiada com R$ 1 mil por mês, durante um ano, para fazer compras com o cartão Carrefour. A segunda colocada também ganhou uma bolsa de estudos na unidade da Le Cordon Bleu em Ottawa, no Canadá, podendo escolher entre o curso de técnicas tradicionais da gastronomia ou de pâtisserie.

‘Quero ser professora de gastronomia’, afirma Lorena

Apesar de não ter vencido o MasterChef Brasil 2019, a vice-campeã Lorena Dayse já tem planos bem definidos para o seu futuro. A piauiense pretende aproveitar bem os prêmios que ganhou para aprimorar o seu conhecimento em gastronomia e, assim, mudar de profissão. “Eu pretendo estudar para ser professora de gastronomia. Foi uma aventura incrível. Eu me descobri uma cozinha dentro do MasterChef e estou muito feliz por tudo que eu vivi aqui. A Lorena que entrou aqui e a Lorena que saiu são pessoas muito parecidas. Ela melhorou, mas continua a mesma”, disse.

“Para mim, essa a minha maior vitória. Saio daqui sem passar por cima dos meus princípios, do que eu acredito, do que eu acho justo e do que eu acho correto. Carreguei o Piauí comigo nessa final. A minha maior missão era contar essa história e acho que ela foi muito bem contada”, completou Lorena.

Segundo a vice-campeã, a maior dificuldade do seu menu era o prato principal – um carneiro ao leite de coco e baião de dois de feijão verde – era o tempo. “Eu sofri um pouco, mas consegui concluir com tranquilidade, consegui chegar lá. Fiquei feliz com o que entreguei. Acho que eu tinha que arriscar muito, pois eu tinha uma história que eu queria contar”, afirmou.

Lorena também falou sobre sua entrada, um ravióli de vinho branco recheado com caranguejo e emulsão de bacuri, que impressionou os jurados. “Acredito não só no sabor, mas também na estética, no conceito do prato. Para mim, eu estava representando o meu mar, o meu litoral. Foi isso que eu fiz e eu consegui retratar muito bem”, disse.

“Não houveram muitos erros nos dois menus e foi uma questão de sabor. Acho que, no final, eles acreditaram mais no sabor do Rodrigo. Tenho certeza que foi uma decisão bem apertada, assim como a torcida foi bem dividida também. Fomos dois bons competidores, justos, muito honestos durante a competição e cozinhamos muito bem na final”, concluiu.

Foto: Carlos Reinis/Band

 

 
Fonte: Band

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *