Cidadania expulsa deputado que apalpou colega na Alesp

Denunciado por importunação sexual, Fernando Cury (SP) ainda pode recorrer ao diretório nacional do partido.

O diretório de São Paulo do Cidadania (ex-PPS) decidiu na segunda-feira 22, por 27 votos a três, expulsar do partido o deputado estadual Fernando Cury (SP), que foi flagrado apalpando a colega Isa Penna (Psol-SP) durante uma sessão da Assembleia Legislativa (Alesp) em dezembro do ano passado.

Na ocasião, o parlamentar foi denunciado por importunação sexual. Em tese, Cury ainda pode recorrer ao diretório nacional do Cidadania, mas ele praticamente não tem chances de obter êxito. Um dos autores da representação interna contra o deputado é o presidente nacional da legenda, Roberto Freire.

O Conselho de Ética do Cidadania já havia se manifestado pela expulsão de Cury, mas o parlamentar recorreu à Justiça e travou o procedimento. O processo vem tramitando desde janeiro deste ano.

A Alesp, por sua vez, puniu Fernando Cury com um afastamento de suas atividades parlamentares por 180 dias. A pena já foi cumprida, e o deputado, que escapou da cassação, retomou o mandato no mês passado.

Fernando Cury também foi denunciado, em março, pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP), por importunação sexual. A decisão de transformar o deputado em réu ou não deve ser tomada pelo desembargador João Carlos Saletti, do Tribunal de Justiça do Estado (TJ-SP).

“Demorou. Já deveríamos ter resolvido isso. Lamentavelmente, ele foi ao Judiciário discutir uma questão que é político-partidária e obteve liminar adiando um processo que deveria ser mais ágil. Eu diria até que deveria ser sumário pela gravidade da falta. O diretório de São Paulo fez justiça”, afirmou o presidente do Cidadania, Roberto Freire.

Por Revista Oeste

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.