Cinco pessoas são presas suspeitas de sonegar mais de R$ 5,7 milhões em vendas de grãos no Piauí

Mais cinco pessoas ainda devem responder pelo crime de sonegação fiscal. Operação Grão-Mestre, do Ministério Público e Polícia Civil, investigou o esquema.

Cinco pessoas foram presas e mais cinco ainda devem responder pelo crime de sonegação fiscal no Piauí, segundo o Ministério Público do Estado. Mais de R$ 5,7 milhões em ICMS deixaram de ser pagos por empresários com a criação de empresas de fachada para falsa compra de grãos em situação de isenção fiscal, segundo investigação do Grupo Interinstitucional de Combate aos Crimes Contra a Ordem Tributária (Grincot).

De acordo com o MP, a organização criminosa teria criado diversas empresas de fachada que, supostamente, seriam produtoras de ração animal. Nesta condição, conforme previsto na legislação estadual do Piauí, a compra de grãos de produtores locais seria isenta de ICMS.

Empresa nunca teria produzido ração animal com os grãos supostamente comprados, segundo o MP. — Foto: Divulgação/MPPI

Empresa nunca teria produzido ração animal com os grãos supostamente comprados, segundo o MP. — Foto: Divulgação/MPPI

“No entanto, tal empresa não funcionava de fato, não produzindo uma grama sequer de ração. Em verdade, todas as vendas realizadas a esta empresa eram simuladas, com o único intento de conferir isenção indevida de ICMS para os fornecedores de grãos ou ocultar os reais produtores de grãos”, informou o Ministério Público.

Além dos 10 condenados pelos crimes, outros empresários que teriam participado do esquema fizeram o pagamento do montante devido em impostos e tiveram o processo extinto, conforme previsto em lei.

Segundo o MP, Operação Grão-Mestre contou com a cooperação da Secretaria de Estado da Fazenda do Distrito Federal e das Polícias Civis do Estado de Goiás e do Distrito Federal.

Por G1 PI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *