Ciro diz que PP e PSDB estarão juntos e revela conversar com siglas da base

O senador Ciro Nogueira, presidente nacional do Progressistas, recebeu a visita do ex-prefeito Sílvio Mendes e das principais lideranças do PSDB em Teresina. No encontro realizado na residência do senador, os dois partidos firmaram aliança para 2022.

Ciro reafirma o interesse de concorrer ao governo do estado e diz buscar apoio de outros partidos.  “Acho que acima de projetos pessoais temos um projeto político. Queremos uma virada de página do nosso estado com a transformação. É um ciclo que se encerra. Iniciamos outro com o pé direito. O PSDB tem uma presença marcante e histórica na cidade de Teresina em não tenho dúvida que nosso projetos irão se somar no próximo ano. Tenho um sonho, nunca menti, de transformar o Piauí por meio de uma gestão eficiente. Mas só iremos definir no próximo ano. Só vamos definir no momento correto. Isso é uma decisão da população”, destaca.

O senador não descarta a conversas com partidos da base do governador Wellington Dias. “Tenho dito que só não quero conversas com o PT, PSOL e PCdoB. Eles representam o atraso do Piauí. Todos os outros que queiram se somar e colocar a população do Piauí acima dos interesses pessoais poderão se somar a esse projeto que estamos construindo”, disse.

O desejo dos progressistas é ter Ciro como candidato a governador com Sílvio Mendes como vice. Sílvio afirma que vai avaliar o cenário para se decidir.
“Não é algo simples. Primeiro passa por pesquisa. É um norte. É um fator para análise. Não é o determinante. Entra conseguir uma aliança política partidária que dê consistência e tenha substância. O governo muito forte e tem uma máquina administrativa exuberante. Nos últimos meses é natural que muita gente queira ficar perto do governo porque é mais fácil fazer campanha. Mas dependendo do contexto, precisamos pensar bem”, afirma.

O presidente estadual do PSDB, deputado Luciano Nunes, diz que a aliança entre as duas siglas é algo natural.  “O Progressistas é uma aliado natural do PSDB. É um partido de oposição. É o maior do estado e essa conversa é permanente. Estamos construindo essa aliança para apresentar uma alternativa ao Piauí. É muito cedo para se dizer que se fechou. Não existe chapa fechada. Estamos construindo esse desenho. O mais importante é ter um projeto. Depois disso, os nomes e posições surgem naturalmente”, disse.

Por Lídia Brito, Cidade Verde

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *