Clássico em São Januário reúne Vasco e Flamengo em momentos opostos

Em momentos distintos no Campeonato Brasileiro, Vasco e Flamengo se enfrentam neste sábado (10), às 17h, em São Januário. Embalado por duas vitórias seguidas e uma série de bons resultados, o time rubro-negro vive momento de alta, ocupando a terceira posição. Os vascaínos, por sua vez, não ganham há seis partidas e estão em ambiente conturbado.

A sequência negativa provocou uma crise no Vasco. E ela culminou com a decisão de demitir, na última quinta-feira (8), o técnico Ramon Menezes, seus auxiliares e o coordenador-técnico Antônio Lopes.

O Cruz-maltino será comandado no clássico pelo técnico Alexandre Grasseli, que originalmente é comandante da equipe sub-20 e tem feito um bom trabalho. No mesmo dia da demissão de Ramon, ele classificou seu time para a final da Taça Guanabara da categoria.

Nessa sequência de jogos sem vitória, dois deles são pela Copa do Brasil, o que causou a eliminação diante do Botafogo. Os demais são pelo Brasileirão.

O Vasco conquistou apenas um ponto nos últimos 12 disputados e não ganha desde o dia 13 de setembro. De lá para cá, empatou com RB Bragantino e perdeu para Coritiba (0x1), Atlético-MG (1×4) e Bahia (0x3). Com isso, o Vasco, que já foi líder, ocupa a décima colocação, com 18 pontos.

Para o clássico, o Vasco tem boas notícias em meio à má fase. O meia Martín Benítez e o volante Andrey voltam ao time depois de cumprirem suspensão.

Já o Flamengo aparece fortalecido depois de seu elenco ter superado um surto de Covid-19. O técnico Domènec Torrent tem boas peças à disposição, apesar das baixas por causa dos jogadores chamados para suas seleções -entre eles os meias Everton Ribeiro e Arrascaeta-, além dos lesionados Diego Alves e Gabigol.

Na lateral direita, Isla se apresentou à seleção chilena e será substituído por Matheuzinho. Pedro Rocha pode ser a novidade no ataque.

O clássico marca um duelo à parte de artilheiros. Pelo lado rubro-negro, Pedro soma seis gols nos últimos cinco jogos e vive grande momento. O Cruz-maltino tem no argentino Germán Cano a sua principal esperança de gols, mas o artilheiro vive um jejum de seis partidas. No Brasileiro, o jogador do Fla tem seis gols. Cano marcou um a mais.

LÉO BURLÁ
SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *