Com atraso na 2ª dose da coronavac, Piauí tem 4 cidades em situação crítica

Os atrasos ocorrem porque há, pelo menos, 15 dias, o Instituto Butantan sofre com a falta de insumos produzir a CoronaVac.

As cidades de Esperantina, Buriti dos Lopes, Nazaré do Piauí e José de Freitas podem ficar com a segunda dose da vacinação comprometida por falta de vacinas da CoronaVac/Butantan no Brasil. “Nós estamos esperando que, no prazo de 40 dias, o Ministério da Saúde disponibilize as vacinas para o país”, diz a Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Piauí (Cosems-PI), Leopoldina Cipriano.

Os atrasos ocorrem porque há, pelo menos, 15 dias, o Instituto Butantan sofre com a falta de insumos produzir a CoronaVac, vacina do Butantan contra a Covid-19 desenvolvida em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. Na terça-feira (25), o Butantan informou que recebeu “um novo lote contendo 3 mil litros de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), matéria-prima necessária para a fabricação”.

“Nós estamos aguardando o Ministério da Saúde disponibilizar novas vacinas CoronaVac. Nós vamos aguardar. Esses municípios vão ter que estar aguardando enquanto a vacina é produzida”, comenta Leopoldina Cipriano.

O Instituto Butantan também informou que “a previsão é que as 5 milhões de doses que serão produzidas a partir deste carregamento sejam entregues a partir de junho ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde”.

O Piauí já chegou a registrar 125 cidades com a falta da CoronaVac para a segunda dose. Para resolver parte dessa ausência, o Governo do Estado disponibilizou uma quantidade de vacinas da reserva técnica para repassar a alguns dos municípios.

No Brasil, a aplicação entre a primeira e a segunda dose deve acontecem no intervalo de 28 dias, podendo se estender por mais 17 dias com segurança de eficácia.

A Secretaria Municipal de Saúde de Esperantina informou ao Cidadeverde.com que enviou ofícios solicitando mais doses à Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi). A cidade vai fazer 30 dias de atraso. O secretário Felipe Sampaio disse já se reuniu pessoalmente com o secretário estadual Florentino Neto para resolver a situação e que aguarda a chegada das novas doses.

Já o secretário da saúde de Nazaré do Piauí, Ronielton Costa, disse que desde o dia 30 de abril solicita as segundas doses e já soliciou à Sesapi.

“Após aplicar as doses recebidas referente a primeira dose da Coronavac e não recebermos as doses para completar o ciclo da vacinação, a coordenação de imunização do munícipio notificou via ofício a Sesapi com a relação das pessoas vacinadas com a primeira dose, solicitando as vacinas para fazer essa segunda dose. Não obtivemos reposta do ofício enviado no dia 30 abril de 2021, foi enviado outro oficio reiterando o oficio enviado, reforçando o pedido dessas doses no dia 17 de maio de 2021, também sem resposta. Assim entramos em contato com a Sesapi e COSEMS-PI por telefone, onde conseguimos estabelecer um diálogo. O que nos foi repassado é que a produção da vacina está suspensa por falta de insumos, e que isso gerou um problema nacional por não ter estoque suficiente para atender a demanda necessária. Eles pediram para reenviar o oficio o que já foi feito e que aguardássemos o Ministério da Saúde disponibilizar novas remessas”, secretário Ronielton Costa.

 

Por | Cidade Verde

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *