Com gol de Renato Cajá, Juventude bate Guarani e volta à elite após 13 anos

O Juventude está de volta à Série A do Campeonato Brasileiro. Treze anos depois, o time gaúcho retornou à elite graças ao triunfo por 1 a 0 para cima do Guarani, na noite desta sexta-feira, no estádio Brinco de Ouro da Princesa, pela última rodada da Série B.

Curiosamente, o gol foi marcado por Renato Cajá, ídolo da Ponte Preta.

Com o resultado, o Juventude subiu para a terceira colocação, com 61 pontos, ultrapassando o Cuiabá, quarto. Chapecoense (campeão) e América (vice) também conquistaram o acesso. Já o Guarani conheceu a quinta derrota seguida e terminou em 13º, com 48.

Durante o jogo, houve também uma briga entre um narrador da imprensa gaúcha e membros da diretoria do Guarani. O jornalista insinuou que o time bugrino havia recebido mala branca do CSA e acabou sendo agredido, tendo seu equipamento quebrado.

De olho no acesso, o Juventude entrou em campo cauteloso e viu o Guarani ser superior nos minutos iniciais. Logo de cara, Bidu acionou Murilo Rangel, que rolou para Waguininho. O atacante chegou de trás e exigiu uma grande defesa do goleiro Luís Carlos O próprio atleta pediu um pênalti, no lance seguinte, mas o árbitro mandou o duelo seguir.

Mas o Juventude não abaixou a guarda e, através de uma recuperação de bola de Matheuzinho, abriu o placar aos 29 minutos. Ele lançou Renato Cajá, que arriscou de longe e fez um lindo gol no Brinco de Ouro da Princesa.

O gol não caiu bem entre os torcedores do Guarani por se tratar de um atleta com muita identificação com a Ponte Preta.

O Guarani tentou responder de forma imediata, mas Lucas Crispim pegou muito forte e jogou por cima. Antes do apito final, Gabriel Bispo tentou ampliar em uma tentativa do meio da rua. Gabriel Mesquita estava adiantado, mas a bola acabou saindo pela linha de fundo.

No segundo tempo, o Juventude voltou a controlar as ações. Sem se expor, o time gaúcho foi chegando aos poucos no ataque e chegou a ter um gol anulado marcado por Matheuzinho. Ele completou um desvio de Grampola, após cruzamento de Renato Cajá, mas nada valeu.

O Guarani começou a virar presa fácil do Juventude. Sem conseguir ameaçar, o time campineiro ficou ‘assistindo’ o rival jogar. Rogério invadiu a área e arriscou para defesa de Gabriel Mesquita, com os pés. O goleiro ainda fez uma defesa milagrosa, na sequência, ao pegar uma cabeçada de Emerson.

Nos minutos finais, o Juventude só segurou para confirmar os três pontos e o acesso. Sem forças, o Guarani não resistiu e conheceu a quinta derrota seguida.

Fonte: Estadão Conteúdo

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *