Com um a menos, Palmeiras marca no fim e supera o Inter no Beira-Rio

O Palmeiras escolheu a forma de vencer o Internacional, na noite desta quarta-feira, em Porto Alegre. O time, que saiu na frente logo no começo, optou por desacelerar o jogo para ser fatal em uma das suas maiores armas – o contra-ataque.

Deu certo: depois de levar o empate, ficou com um menos, chamou o adversário para o seu campo e fez o gol da vitória aos 44 do segundo tempo, justamente em sua jogada mais mortal. Assim, segue firme na parte de cima da tabela do Brasileirão.

Abel Ferreira resolveu reforçar o lado esquerdo de sua defesa e mandou a campo o time com três zagueiros mas, um deles, Renan, improvisado como lateral-esquerdo. Na frente, o time começou o jogo ocupando o campo de ataque.

Logo aos quatro minutos, o Alviverde conseguiu a sua primeira boa chance. Marcos Rocha recebeu de Gustavo Scarpa dentro da área e cruzou rasteiro, mas a defesa do Internacional ficou com a bola.

Quando Johnny tentava sair jogando, Breno Lopes roubou a bola e bateu cruzado, mas a bola passou à direita da meta colorada.

Ainda com o controle da partida nas mãos, o Palmeiras abriu o placar aos nove minutos. Após cobrança de escanteio de Gustavo Scarpa pela direita, a bola sobrou para Raphael Veiga na entrada da área.

Ele bateu de primeira, cruzado, e Deyverson, muito bem posicionado, completou com a pé direito para marcar o gol – foi o seu segundo gol no retorno à equipe, o 27.º do atacante pelo clube.

O Internacional estava devagar na saída para o ataque. O time chegou pouco ao gol de Jailson na primeira etapa. Aos 13, Caio Vidal desviou cruzamento de cabeça, mas o goleiro do Palmeiras defendeu sem problemas.

O Colorado chegou de novo aos 24, quando o centroavante Yuri Alberto recebeu dentro da área, girou e chutou firme, mas mais uma vez Jailson evitou o gol de empate.

O Palmeiras passou a tentar usar mais os contra-ataques, mas não conseguiu encaixar o passe para Deyverson ou Breno Lopes. Jailson defendeu outra cabeçada, aos 34, desta vez de Edenílson.

Dois minutos depois, o time alviverde até chegou ao segundo gol, com Breno Lopes tocando na saída de Daniel, mas o atacante do time paulista estava impedido.

O Palmeiras voltou para o segundo tempo com uma alteração incomum: Abel Ferreira sacou Breno Lopes e colocou em campo o lateral-esquerdo Victor Luis, que atravessa péssimo momento. A ideia era se fechar ainda mais, atrair o Inter e tentar matar o jogo em um contra-ataque.

Mas o time se retraiu demais, parou de atacar, abdicou de tentativas de sair para o jogo pelos lados do campo. Mesmo assim, os primeiros dez minutos foram mornos, com a equipe colorada tentando apenas levantar bolas para o alto.

Aos dez minutos, Edenilson achou bom passe para Yuri Alberto na esquerda. Jailson saiu e o atacante do Inter tocou na saída, mas a bola foi pela linha de fundo.

A tão sonhada bola para matar o jogo apareceu para o Palmeiras aos 13 minutos. Zé Rafael recebeu boa bola na esquerda, desacelerou o passe e tocou com muita categoria para Raphael Veiga – sozinho, em velocidade, de frente para o goleiro Daniel, o meia bateu de primeira, mas chutou em cima do goleiro.

O castigo para o Palmeiras chegou rápido. Aos 15 minutos, Caio Vidal entrou em velocidade na área e o zagueiro chileno Kusevic, de forma infantil, empurrou o jogador do Internacional.

Acionado pelo VAR, o árbitro Paulo Roberto Alves Junior marcou o pênalti e expulsou o jogador do Palmeiras. Na cobrança, Edenilson, com muita categoria, empatou a partida.

Abel Ferreira mexeu no Palmeiras e recompôs o seu sistema defensivo. Com Felipe Melo, Danilo Barbosa e Gabriel Menino em campo, o time paulista se fechou ainda mais. Mesmo assim, teve a chance de marcar o segundo aos 36, com Deyverson, que chutou fraco para a defesa de Daniel.

O Internacional quase virou aos 41. Após cruzamento na área, Yuri Alberto subiu sozinho, mas cabeceou em cima de Jailson, que conseguiu defender. Três minutos depois, a redenção palmeirense surgiu.

Danilo ganhou no meio, tocou para Deyverson que deu lindo passe para Danilo Barbosa entrar na área pela direita e cruzar rasteiro para Danilo marcar o segundo gol alviverde – ele pegou de um jeito estranho na bola, que subiu, mas caiu mansamente dentro do gol de Daniel.

Ótima vitória do Palmeiras, em um jogo que poderia ter dado tudo errado, mas no fim, tudo deu certo.

Fonte: Estadão Conteúdo

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *