Conversa de Dr Pessoa e Lucy Soares é gravada e revela discussão: ‘Me tratou mal’

 gravação de uma conversa entre o prefeito de Teresina, Dr Pessoa (MDB), e a deputada estadual Lucy Soares (PP) vazou nas redes sociais.

O encontro entre o gestor municipal e a viúva do ex-prefeito de Teresina Firmino filho mostrou uma conversa tensa em reunião que tratava sobre os problemas da cidade.

Lucy falou sobre os problemas no transporte público que já dura 10 meses e que as pessoas estão perdendo serviço por causa disso. Dr Pessoa alegou, então, que não ia entrar no campo político e que encontrou ‘N coisas paradas’ e disse que a administração pública é impessoal.

Lucy rebateu, e diz que na verdade parou agora, momento em que a conversa começa a ficar acalorada.

“Estou observando que a senhora está caindo no campo da politicagem”, diz ele. “De jeito nenhum”, rebate ela.

Lucy explica que não foi falar de política e pensava que seria bem atendida, e que o prefeito ainda não havia saído do palanque.

A deputada ainda disse que foi tratada mal e que estava tudo gravado. O prefeito disse que lá nada era gravado, que era olho no olho.

Ouça o áudio:

Após a repercussão do áudio, Lucy fez um desabafo nas redes sociais:

“Quando o prefeito da cidade escolhe não ouvir, não dialogar com uma parlamentar, ele não vira as costas para mim, mas para toda a população. Foi o que aconteceu hoje na audiência com o prefeito de Teresina, doutor Pessoa. Eu lamento que em tempos tão difíceis, o gestor da nossa cidade não esteja disposto a ouvir sobre os problemas que afetam a população mais necessitada. Estamos enfrentando uma crise econômica que tem afetado todo o país. O cenário de fome é visto todos os dias. Centenas de homens, mulheres e crianças são vistas nos sinais, em todas as zonas da nossa capital. Por isso, uma das nossas pautas é a regularização fundiária. É preciso um olhar atento às famílias que precisam de um lar. Os moradores do Lindalma Soares e Coruja Residence, por exemplo, estão sendo ameaçados de despejo. Para onde irão? E as casas e apartamentos prontos do novo residencial Parque Brasil? O que falta pra chamar as famílias que já foram cadastradas pelo Banco Mundial? Outro questionamento importante que levamos foi o andamento da construção da Casa da Mulher Brasileira, um espaço que deverá servir de acolhimento e segurança para as mulheres vitimas de violência. O contrato de repasse dos recursos foi assinado ainda em dezembro, pelo ex-prefeito Firmino. Desde o início da pandemia, o número de agressões aumentou em 20%. Como não ver urgência no andamento dessa obra? Infelizmente, nosso apelo não foi ouvido e acolhido pelo prefeito. Mas em nome das tantas pessoas que têm me procurado, reafirmo que não há espaço para cansaço. Continuarei lutando. Agradeço a recepção feita a mim e a minha equipe por parte do secretário de comunicação, Lucas Pereira e do presidente da ETURB, João Pessoinha, que tentaram, sem sucesso, que acontecesse o diálogo. Vamos seguir lutando por quem mais precisa. É isso que é cuidar de gente”.

 

Por 180graus

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *