Covid-19: Piauí tem queda na taxa de incidência de casos pela primeira vez

Os dados são do Boletim do Observatório Covid-19 Fiocruz (Fundação Osvaldo Cruz).

Pela primeira vez, vários estados apresentaram queda nas taxas de incidência de casos de Covid-19, como Rondônia, Acre, Roraima, Pará, Tocantins, Piauí, Alagoas,  Sergipe,  Bahia,  São  Paulo,  Santa  Catarina,  Mato  Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás. Alguns deles, até há poucas semanas, vinham sendo duramente atingidos pela pandemia. O Piauí teve uma queda de 4,6% nos dados. 

A taxa de incidência de óbitos no Piauí foi de 0,5% segundo o Boletim do Observatório Covid-19 Fiocruz (Fundação Osvaldo Cruz), divulgado na sexta-feira (17), que sinaliza ainda que a taxa de ocupação de leitos de UTI Covid-19 para adultos se encontra no melhor cenário desde que foi iniciado o monitoramento do indicador. Apenas uma capital está com taxa superior a 80%: o Rio de Janeiro (82%). Duas estão na zona de alerta intermediária: Boa Vista (76%) e Curitiba (64%).

A análise  de  Síndromes  Respiratórias Agudas  Graves  (SRAG), feita  pelo  InfoGripe/Fiocruz,  indica  uma  tendência  de  melhora  no  quadro geral do país, pelo fato de as taxas estarem em redução em  relação  a  semanas  anteriores.  Apesar da tendência geral de redução das SRAG, dois estados, Espírito  Santo  e  Pernambuco,  têm  uma  tendência  de  crescimento  que deve ser acompanhada. Rondônia, Alagoas, Bahia, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte e Santa Catarina encontram-se em estabilidade.

Pela primeira vez desde março de 2020, Piauí tem queda  na taxa de incidência de casos (Foto: Divulgação)Pela primeira vez desde março de 2020, Piauí tem queda  na taxa de incidência de casos (Foto: Divulgação)

Os  outros  estados  têm  tendência  de  redução,  o  que  é  bastante  positivo,  mas  que  continua  a  exigir  atenção,  dadas  as  altas  taxas. As taxas de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo (Covid-19) para adultos no SUS (Serviço Único de Saúde)  continuam  caindo  consistentemente  e,  segundo  dados  obtidos em 13 de setembro, 24 estados e o Distrito Federal encontram-se fora  da zona de alerta do indicador, com taxas inferiores a 60%.

Somente três capitais apresentam taxas de ocupação superiores  a  60%:  o  Rio  de  Janeiro,  única  capital  na  zona  de  alerta  crítico,  onde  o  indicador  caiu  na  última  semana  de  94%  para  82%,  mesmo  com  alguma  redução  de  leitos;  Curitiba,  que  se  mantém  na  zona de alerta intermediário, com o indicador em 64%; e Boa Vista,  com 76%, que reflete o dado de Roraima, como sede do hospital com leitos de UTI Covid-19 públicos no estado.

Dois estados estão na zona de zona de alerta intermediário (≥ 60% e <80%): Roraima (76%) e Rio de Janeiro (62%). Vinte e cinco unidades da Federação estão fora da zona de alerta: Rondônia (38%), Acre  (9%), Amazonas  (29%),  Pará  (31%), Amapá  (13%),  Tocantins  (27%),  Maranhão  (29%),  Piauí  (40%),  Ceará  (40%),  Rio  Grande  do  Norte  (27%),  Paraíba  (19%),  Pernambuco  (45%),  Alagoas  (32%), Sergipe  (19%),  Bahia  (29%),  Minas  Gerais  (27%),  Espírito  Santo  (57%),  São  Paulo  (33%),  Paraná  (57%),  Santa  Catarina  (44%),  Rio  Grande do Sul (50%), Mato Grosso do Sul (28%), Mato Grosso (41%), Goiás (51%) e Distrito Federal (55%).

Uma capital está com taxa de ocupação de leitos de UTI Covid-19 superior a 80%: Rio de Janeiro (82%). Duas capitais estão na zona de alerta intermediário: Boa Vista (76%) e Curitiba (64%).

Vinte e quatro capitais estão fora da zona de alerta: Porto Velho (38%), Rio Branco (8%),  Manaus  (29%),  Belém  (20%),  Macapá  (14%),  Palmas  (16%),  São Luís (29%), Teresina (43%), Fortaleza (50%), Natal (29%), João Pessoa (19%), Recife (48%), Maceió (38%), Aracaju (26%), Salvador (25%), Belo Horizonte (56%), Vitória (55%), São Paulo (39%), Florianópolis (27%), Porto  Alegre (58%), Campo Grande (31%), Cuiabá (37%), Goiânia (59%) e Brasília (55%).

Por Meio Norte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *