Disputa interna no PT de Teresina gera divergências sobre candidatura nas eleições de 2024

Vereador Dudu defende debate dentro do campo político e estratégia conjunta para fortalecer o partido.

No cenário político de Teresina, a discussão interna no Partido dos Trabalhadores (PT) começa a se intensificar em relação à escolha do candidato para as eleições municipais de 2024. O vereador Dudu (PT) destaca a importância de pensar no campo político como um todo, em vez de priorizar candidaturas individuais.  Oitomeia

O debate interno foi impulsionado pela manifestação da vereadora Elzuila Calisto que afirmou que divulgará um vídeo em apoio ao deputado estadual Fábio Novo. O vereador ressalta que defende a construção de um campo político unificado e uma estratégia conjunta, não favorecendo pensamentos pessoais ou individualidades.

“Nós não pensamos e não podemos pensar em nenhum tipo de candidatura individual. Nós temos que pensar no campo político. Tenho defendido que o Lula não é presidente porque o PT chegou só com o Lula. Rafael não é governador porque o PT chegou só com o Rafael. Um conjunto de líderes e de partidos unificaram as forças para que a gente pudesse eleger o Lula presidente, eleger o Rafael e dar continuidade ao governo Wellington Dias. Aqui nós temos um campo e eu tenho defendido que a gente discuta dentro deste campo”, destacou. 

O vereador defende o fortalecimento das chapas proporcionais e a busca por uma alternativa que se baseie no campo político unificado. Ele ressalta que a decisão sobre a candidatura do PT será tomada pelo partido como um todo, levando em consideração os interesses coletivos e não os individuais.

“No dia que o PT tiver um dono, alguém que chegue de goela abaixo, impondo que o nome A, B ou C for do partido, esse partido não é o que eu ajudei a construir e a fundar. O partido que eu ajudei a construir, é o partido que ouve as bases”, salientou. 

Vereador Dudu (Foto: Ricardo Morais / OitoMeia)

INTERVENÇÃO DO GOVERNADOR 

Em relação às declarações do presidente municipal Cícero Magalhães, que afirmou que o PT não aceitará interferências do governador, o vereador avalia que as decisões devem ser tomadas pelo partido e que é importante respeitar a maioria. Ele defende a democracia como a base para as decisões políticas.

“Eu defendo o que o PT decidir, temos que acatar. Na hora que o PT decidir, quem for com o PT vai ser isso e eu vou estar na trincheira também. Porque quem não aceita a maioria decisão de maioria não pode fazer parte nem da política. Porque a política é desse jeito”, pontuou. 

WhatsApp do Portal Saiba Mais: (89) 9 9922-3229

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Portal Saiba Mais