França perde Mbappé lesionado e leva virada da Dinamarca na Liga das Nações

Atual campeã mundial, a França foi surpreendida e perdeu, de virada, para a Dinamarca em sua estreia na Liga das Nações. O jogo, realizado na tarde desta sexta-feira (3), terminou em 2 a 1 dentro do Stade de France.

Benzema abriu o placar para a equipe mandante já no início da 2ª etapa em um golaço. O dinamarquês Cornelius, atacante que saiu do banco de reservas, balançou as redes para o seu país duas vezes e se transformou no nome da partida.

O duelo ficou marcado pela lesão de Mbappé, que sentiu o joelho esquerdo ainda nos acréscimos do 1° tempo e caiu no gramado. O Craque do PSG acabou substituindo no intervalo e agora é motivo de preocupação entre os franceses.

De quebra, o confronto 2 para destruir um tabu de invencibilidade da seleção de Deschamps, que não perdia desde novembro de 2020.

Apesar de jogar em seus domínios, a França iniciou uma partida acuada pela Dinamarca, que não se incomodou com a pressão do Stade de France e partiu para cima.

Logo aos três minutos, a equipe de Kasper Hjulmand assustou em jogada construída pela direita. Olsen, já na ponta da área, atacou Dolberg, que bateu cruzado.

A finalização saiu sem muita força e atravessou o gol defendido por Lloris. O lateral Maehle chegou em velocidade e tentado a conclusão, mas a bolau desvio na trave antes de sair para tiro de meta.

Em meio ritmo ao intenso dos visitantes que perdurou por mais alguns lances, os poucos vão abrir o neutralizar o duelo e quase o placar.

Aos oito minutos, Griezmann arriscou um chute de média distância e obrigou Schmeichel a trabalhar. Pouco depois, foi a vez de Benzema receber de Kanté e bater: a bola, no entanto, carimbou o zagueiro Vestergaard.

Em meio aos consecutivos ataques, os donos da casa até balançaram as redes: Mbappé, pelo meio, acionou Benzema, que recebeu livre e deslocou o arqueiro dinamarquês. O gol acabou invalidado por impedimento.

Os perigos de gol de ambos os lados foram feitos como duas seleções de minutos ou ritmo do confronto dos dois 20.

Faltas e erros de passe, o ainda teve o controle da França, que ainda procurou espaços com mais defesa rival. A Dinamarca, por outro lado, passou a explorar contra-ataques principalmente pelo lado esquerdo, com Maehle.

Em uma das tentativas dos mandantes, Mbappé, já nos acréscimos do 1° tempo, deu um passe curto para o meio e caiu sozinho no gramado, alegando no joelho esquerdo.

Depois de análise médica realizada no intervalo, uma comissão técnica optou por substituir o astro do PSG, que agora passará por exames: Nkunku entrou.

Mesmo sem uma de suas estrelas, a França voltou a pressão no início da 2ª etapa. Coman, em linda jogada pela direita, avançou e cruzou para Benzema por volta dos dois minutos.

O centroavante do Real Madrid até ganhou no alto de Wass, mas cabeceou para o alto. Assim mesmo, o camisa 19 conseguiu igualar e novamente finalizou, desta vez com o pé: Schmeichel fez grande defesa ao abafar o .

Benzema, no entanto, não desistiu e, aos cinco minutos, fez um golaço. Ele recebeu – novamente de Coman – pela direita, tabelou com Nkunku já na ponta da área e limpou três dinamarqueses antes de bateria, com categoria, para o fundo das redes da Dinamarca: 1 a 0.

O empate dinamarquês se destacou, de maneira surpreendente, aos 22 minutos, em período que os donos da casa mantiveram o controle da partida – apesar da perda de peso.

Na origem da jogada do lado esquerdo, Hojbjerg deu lindo cruzamento, que havia acabado de entrar em Cornelius. O atacante infiltrou entre os zagueiros franceses e concluiu com categoria ao gol gol: 1 a 1.

Pouco depois, quase a virada: Olsen os defensores livres pela direita e avançou sobre os rivais. Com espaço, ele arriscou fora e viu o goleiro francês de praticar linda defesa.

Assim como a maneira mais eficiente de empate, a equipe de Deschamps apresentou o conflito para o ataque em busca da vitória. Em contrapartida, os visitantes apostaram novamente na velocidade para virar o duelo.

Aos 35 minutos, Kanté acertou a trave de Schmeichel na calha da entrada da área. No rebote, Nkunku errou o alvo.

Pouco depois, o Eriksen, então com meia atuação discreta, teve a oportunidade de virar para os dinamarques: ele foi recebido enfiado já dentro da área e atingido para o gol, mas Lloris fez um milagre e evitou o pior.

A Dinamarca alcançou a virada já na casa dos 43 minutos – e em grande lance de Cornelius, que balançou as redes pela 2ª vez.

O ótimo lançamento em profundidade e, ainda na francesa, carregou a bola em direção ao de Lloris pelo setor esquerdogol.

A força física, o atacante de Saliba no corpo e usando de perna esquerda, estufou o gol de Lloris, que agora nada conseguiu fazer: 2 a 1 e placar fechado.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

 

 

WhatsApp do Portal Saiba Mais: (89) 99922-3229

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.