Itália pede oficialmente ao Brasil que prenda Robinho por nove anos, pela condenação de estupro

Como o Brasil não extradita seus cidadãos, o ministro da Justiça da Itália pede a prisão de Robinho, condenado por estupro. Ele vive em liberdade no litoral paulista. E quase foi jogar no Londrina

“A própria Constituição brasileira proíbe a extradição de brasileiros natos.

“Agora, em tese, pode haver o cumprimento de pena (no Brasil), mas é algo a ser examinado posteriormente, quando isso efetivamente tramitar.”

O ministro da Justiça e da Segurança Pública, Flávio Dino, havia dito que Robinho poderia ter de cumprir a pena de nove anos de prisão.

Desde que houvesse o pedido formal da Itália, para que ficasse preso aqui no Brasil.

E esse pedido chegou.

Ele foi condenado, em três instâncias, por estupro coletivo de uma italiana de origem albanesa, em 22 de janeiro de 2013.

Assim que ele foi condenado, buscou dois recursos.

Mas para evitar ser preso, usando a Constituição brasileira como escudo, Robinho voltou para o Brasil e não saiu mais daqui.

A condenação foi efetivada em outubro do ano passado.

Desde então, seu nome passou a constar na lista dos procurados da Interpool. Ele não pode ir para mais de 150 países, porque será preso e extraditado para a Itália.

Mas, por conta de o Brasil não extraditar seus cidadãos, Robinho desfruta vida de milionário que é.

Robinho, na praia, com Diego Ribas. O jogador leva vida 'normal', apesar de condenado por estupro

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Mora no litoral paulista, já foi fotografado andando de bicicleta, jogando futêvolei e até em atos políticos.

Só que hoje veio a público o pedido da Itália.

O ministro da Justiça da Itália, Carlo Nodio, encaminhou o desejo do governo italiano que Robinho seja preso no Brasil.

O despacho foi feito no dia 24 de janeiro e chegou no país, dia 31.

E ainda não foi analisado.

O governo italiano havia recebido o ‘não’ à extradição.

“Constatado que o próprio Ministério brasileiro manifesta a possibilidade de formular um pedido de execução no Brasil da pena infligida na Itália ao nacional Robson de Souza, a Procuradoria da República junto ao Tribunal de Milão, pediu que seja dado andamento ao processo previsto no Tratado de Extradição entre Itália e Brasil, à luz da lei da Migração n. 13.445/2017 e que considerado portanto que a referida execução pode ser solicitada ao abrigo do artigo 6, parágrafo 1 do Tratado de Extradição entre a Itália e o Brasil”, diz o documento, publicado pelo UOL.

O pedido de prisão no Brasil surge uma semana depois de o ex-jogador da Seleção Brasileira ter tentado negociar sua ida para o Londrina, treinado por Edinho, filho de Pelé, e seu amigo.

Só que a opinião pública da cidade paranaense pressionou a direção do clube para que não fosse efetivada a contratação.

A revelação da transformação da extradição em prisão no Brasil pode mudar a rotina de Robinho.

Por enquanto, ele segue vivendo como se nada tivesse acontecido.

A partir do dia 31 de janeiro, tudo depende do Ministério da Justiça do Brasil.

Na Internet a pressão pela prisão já começou…

Fonte: R7

WhatsApp do Portal Saiba Mais: (89) 99922-3229

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Portal Saiba Mais