Jovem se casa em hospital para pai em estado terminal de câncer acompanhar cerimônia

O casamento de Gabriela, de 22 anos, estava marcado para maio deste ano. No entanto, um motivo especial fez com que a celebração fosse adiantada para último dia 5 de abril. O pai da noiva, o piloto de avião Glauco Palheta, de 56 anos, estava internado em estágio terminal de um câncer no hospital Oswaldo Cruz, na capital paulista.

‘Eu sei que ele estava esperando só isso para descansar’, disse Gabriela ao portal G1.

Há aproximadamente um ano, Glauco descobriu um câncer de próstata. Em pouco tempo, a doença agressiva evoluiu e atingiu outros órgãos.

“A gente fez todo o tratamento, quimioterapia, radioterapia, fez tudo, a gente tinha muita esperança”, contou a jovem.

Em fevereiro deste ano, a situação do piloto ficou mais difícil. Como ocorre em quadros de câncer irreversíveis, a família foi avisada de que não tinha mais tratamento capaz de curar a doença.

“Há umas três, quatro semanas, começamos a ser acompanhados pela equipe do paliativo, para casos terminais”.

Com isso, Gabriela teve a ideia de sugerir ao noivo, o designer gráfico Thalles Tonini, de 26 anos, que a cerimônia fosse realizada no hospital. “Conversei com o noivo: ‘Você sabe que o que eu mais quero é ele presente no nosso casamento”.

Com a decisão favorável ao casamento na unidade, os noivos começaram os preparativos juntos com a equipe do hospital já que a pandemia do novo coronavírus também dificultava a realização da celebração. O Hospital Oswaldo Cruz possui um programa de humanização chamado “Yes, we care”, que ajuda a realizar pedidos de pacientes internados, principalmente pacientes em tratamento de câncer ou paliativos, ou seja, em fase terminal.

Depois de todos os ajustes, a cerimônia foi realizada com a presença dos pais dos noivos, pastor que celebrou a união e um dos padrinhos. Com um buquê improvisado, Gabriela entrou acompanhada do pai, que estava na cama do hospital.

“Dois dias antes do meu casamento, meu pai teve um pico de lucidez que não acontecia há um tempo. Depois, ele falou que o casamento foi maravilhoso”.

No dia seguinte, 6 de abril, o piloto de avião não acordou mais. “Meu pai sempre disse que existe um propósito para tudo, e poder compartilhar isso [o casamento] é uma alegria para a gente”, disse Gabriela ao portal.

Fonte: MSN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *