Líder do Governo diz que Fundeb teve redução de R$ 90 milhões em 2020

O Governo do Piauí tenta negociação com professores que estão em greve e protestam por melhorias salariais. O novo líder do Governo na Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi), deputado Francisco Costa, explica que houve diminuição no repasse no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) para 2020, mas que, mesmo assim, o estado aumentou o salário da classe.

“O Piauí ficou com a receita diminuída para 2020. O Fundeb teve redução de aproximadamente R$ 90 milhões […] mesmo assim, o Governo do Estado tomou a decisão de aumentar o salário para professor, cujo menor valor era R$ 2.900 e passou para R$ 3. 167”, disse Costa.

Em entrevista ao Notícia da Manhã, desta quarta-feira (12), o deputado elencou a evasão de alunos da rede pública estadual como um dos pontos para a redução do Fundeb.

“Não teve aumento de receita para a Secretaria de Estado da Educação, a parte do Fundeb, para 2020 […] isso por várias causas, até mesmo consequência da greve que tivemos de 55 dias em 2018 e que atrasou a conclusão do ano letivo em 2019. Com isso, nas matrículas de 2019 houve muita evasão, com alunos migrando para escolas municipal e privada, o que culminou com esse prejuízo”, disse o líder do Governo na Alepi. 

Francisco Costa também comentou sobre a possibilidade de diálogo com outras categorias de servidores de públicos. 

“Tivemos anos de dificuldades que culminaram com 2019 como o mais difícill. Medidas duras foram tomadas como a readequação da máquina no estado, a redução da estrutura, a própria reforma da Previdência, a redução de contratos. Isso ajudou o estado a conseguir um equilíbrio financeiro melhor. Acreditamos que em 2020, embora com previsão do Fundeb menor, mas com expectativa de incremento de receita, o Governo estuda possibildade de atender situações de servidores [policiais] que tiveram promoções publicadas no Diário Oficial do Estado, mas que não foram implementadas no contracheque. O Governo faz análise, mas não podemos esquecer que temos um limitador que é o estado ter fechado o ano acima do limite prudencial com gasto pessoal”, conclui o deputado estadual Francisco Costa. 

Fonte|Graciane Sousa \ Cidadeverde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *