Médico é acusado de estuprar pacientes sedadas em clínica em São Paulo

A polícia procura por um médico acusado de estuprar pelo menos seis pacientes em uma clínica no Tatuapé, bairro da zona leste de São Paulo (SP). As vítimas eram abusadas quando estavam sedadas.

O médico proctologista foi identificado como Paulo Agusto Berchielli, de 63 anos. Uma das vítimas afirmou que sentiu o suspeito encostando a parte íntima nas costas dela, mas pensou se tratar de um acidente. Depois, o médico pediu para que ela se deitasse na maca. Segundo a mulher, não havia nenhuma outra pessoa acompanhando o procedimento.

Depois, a vítima afirmou que voltou para casa com muitas dores e sangramento, marcando uma nova consulta. Novamente, mais abusos. O médico pediu para que ela tirasse toda a roupa, mas a mulher não aceitou a ordem, pois ele não oferecia avental.

Aí ele mandou eu ficar em uma posição lá na maca, eu subi. Daí eu falei: doutor, o senhor não vai examinar porque está sangrando??. Ele falou que tinha que examinar e foi onde começavam os abusos. Ele não usava luva”, relatou.

Ainda de acordo com a mulher, que teve dificuldade para sumir na maca, o médico a ajudou, encostando nela novamente. Nesse momento, ao ser rebatido pela vítima, que exigiu que o proctologista apenas olhasse para receitar um remédio, o médico teria colocado o dedo novamente. A vítima afirmou que as pacientes eram colocadas de bruços, já que não teriam como ver as ações do abusador.

“Desci da maca e falei pra ele, chorando e com muita dor, sangrando. Ele não olhou pra mim e falou: Você vai me odiar, né??. Eu falei: Eu já estou te odiando”.

Uma outra vítima afirmou que sofreu abuso do médico há 12 anos, mas criou coragem para denunciar após ver outras mulheres relatando os casos. Segundo a mulher, ela também foi tocada de forma indevida pelo proctologista:

“Ele simplesmente falou assim: tira a roupa, toda a roupa, calcinha, sutiã, tudo. Eu vou só aferir sua pressão. Eu pensei: aferir a pressão a gente não precisa tirar a roupa’. Aí ele veio por trás de mim, se encostou, me pegou no corpo, alisou, se encostou mesmo, eu senti que ele estava realmente excitado. Depois ele saiu de trás de mim e só falou: pode vestir a roupa, a consulta acabou”.

Seis mulheres denunciaram Paulo por estupro. Algumas das vítimas relataram que foram abusadas enquanto estavam sedadas. O proctologista é procurado pela polícia e o Ministério Público também abriu investigação, oferecendo denúncia à Justiça. O pedido foi acatado e um mandado de prisão foi expedido contra o médico.

Fonte: SBTNews


WhatsApp do Portal Saiba Mais: (89) 9 9922-3229 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Portal Saiba Mais