Médico é preso suspeito de agredir policiais após se recusar a diminuir o volume do som em Valença do Piauí

Um médico de 26 anos foi preso em flagrante por desacato e suspeito de agredir dois policiais militares, que foram atender uma ocorrência de som alto, no bairro Valentim, em Valença do Piauí, a 216 km de Teresina. Vídeo que circula nas redes sociais mostra o médico alterado e afirmando: “ele tá achando que eu sou quem? Não tá me conhecendo não?”.

O caso ocorreu no último sábado (3) quando, por volta das 13h40 os policiais militares foram acionados sobre uso de som alto em uma residência. O médico foi solto durante audiência custódia ao pagar quatro salários mínimos de fiança, no domingo (4).

“Recebemos uma informação de um vizinho que estava se sentindo perturbado com um som muito alto. A guarnição foi até local, e chegando lá o procedimento padrão é contactar a pessoa e pedir para ela diminuir o som, mas ele em vez de fazer isso, desacatou os policiais, fez ameaças e por isso foi preso”, informou o coronel Jairo Oliveira, comandante da PM em Valença.

Segundo o comandante, o médico não quis diminuir o som, desacatou os policiais e chegou alegar que seria tenente do Exército. Ao ser preso, ele teria agredido os policiais militares.

“No momento da contenção, ele deu uma cotovelada que fez um corte no supercílio de um policial e também deu um tapa que atingiu o nariz de outro policial. Ele foi algemado, e chegou a dizer que era um oficial do Exército, mas não conseguimos naquele momento nada que indicasse isso, achamos que com isso, ele ficou dando a entender que em vez de intervir, os policiais deveriam obediência a ele, para intimidar, mas ele foi preso e encaminhado à delegacia”, informou o comandante.

Um vídeo que circula nas redes sociais, mostra que o médico estava confraternizando com a família, quando a polícia chegou. Bastante alterado, familiares tentaram conter ele, que questionava a atuação dos policiais.

“Ele tá achando que eu sou quem? Não tá me conhecendo não?”, afirmou. Em outra ocasião questiona se o policial é “homem” e se não vai atirar. “Atira, tu não é homem?”, afirmou o médico que depois profere vários xingamentos. O pai e a mãe dele tentam explicar que os policiais estão fazendo o seu trabalho, mas ele não se controla e inicia uma intensa discussão, e chega a ser agressivo com os familiares.

O médico foi preso em flagrante e encaminhado para a Delegacia de Valença, depois passou por uma audiência de Custódia no domingo (4), onde foi arbitrada uma fiança no valor de R$ 5.648 mil, que já foi paga e ele liberado.

Fonte: Bárbara Rodrigues/Cidade Verde


WhatsApp do Portal Saiba Mais: (89) 9 9922-3229 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Portal Saiba Mais