Ministério da Saúde realiza pesquisa em Teresina para avaliar evolução da Covid-19

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina é parceira da pesquisa do Ministério da Saúde intitulada “Evolução da Prevalência de Infecção por Covid-19 no Brasil: Estudo de Base Populacional”. A pesquisa está sendo coordenada pela Universidade Federal de Pelotas, no Rio Grande do Sul. A execução do trabalho de campo compete ao Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística – IBOPE. O estudo será dividido em três fases, sendo que em cada uma delas pessoas farão teste sanguíneo rápido que utiliza metodologia por punção digital.

“Vale ressaltar que Teresina tem agora duas pesquisas para avaliar a evolução da Covid-19:  uma realizada pela Prefeitura de Teresina, em parceria com o Instituto Opinar, que já fez sua quinta etapa, e agora esta do Ministério da Saúde”, explica Kledson Batista, diretor de Atenção Básica da FMS.

A coleta de dados durante a pesquisa do Ministério da Saúde se dá por meio da aplicação de um questionário sobre a existência de doenças preexistentes e possíveis sintomas de Covid-19 nos últimos 30 dias. “Somos parceiros do Ministério da Saúde na parte da divulgação da pesquisa a nível local, apoio logístico de execução e descarte correto dos materiais infectados utilizados”, afirma Kledson Batista.

A pesquisa do Ministério da Saúde em Teresina iniciou dia 14 de maio e segue até 12 de junho de 2020. O estudo de âmbito nacional foi submetido e aprovado pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa. Todos os indivíduos selecionados para a amostra do inquérito populacional são informados sobre os objetivos do estudo, riscos e vantagens.

O material e informações só serão coletados após assinatura do termo de consentimento livre e informado. Todos os indivíduos testados em campo terão um número de telefone celular registrado para que possam receber informações sobre o resultado do teste. Os casos positivos serão informados à Fundação Municipal de Saúde para as providências cabíveis.

Segundo nota técnica do Ministério da Saúde, a pesquisa envolve risco mínimo para a saúde do participante, pois consiste na aplicação de um questionário curto e realização de teste sorológico rápido.


Fonte: Com informações da PMT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *