Motoristas de ônibus iniciam greve por tempo indeterminado em Teresina

Frota já estava operando com o mínimo de 30% por conta da pandemia. Trabalhadores alegam atrasos de salário e demissões. Setut diz que foi pego de surpresa.

Os motoristas e cobradores de ônibus do transporte público municipal de Teresina iniciaram nesta segunda-feira (26) uma greve por tempo indeterminado reivindicando o cumprimento dos pagamentos de salários e das férias por parte das empresas. Segundo a entidade representante da categoria, o Sintetro, já houveram várias tentativas de negociação, mas o sindicato patronal (Setut) não apresentou propostas no sentido de reverter ou amenizar a situação.

Em um comunicado à população de Teresina, o Sintetro informou que os trabalhadores não receberam integralmente o salário do mês de março e estão com o pagamento de suas férias atrasados. “Além disso, alguma empresas fizeram demissões sem o pagamento dos valores devidos, e mesmo após participar de reuniões através de videoconferências com representantes do Sintetro, Setut, Prefeitura e Superintendência Regional do Trabalho, e não obtermos êxito, não temos outra saída se não parar o Sistema de Transporte de Teresina”, diz o comunicado.

No começo do mês, o Sintetro já havia denunciado o risco de pelo menos mil trabalhadores do sistema de transporte público de Teresina serem demitidos em decorrência da pandemia de coronavírus. É que devido à queda considerável no uso dos coletivos durante esta quarentena, as receitas das empresas teriam sido impactadas, o que impossibilitaria a manutenção do quadro integral de funcionários.


Com greve, ônibus não deixam as garagens em Teresina – Foto: Assis Fernandes/O Dia

À época, o presidente do Sintetro, Fernando Feijão, sugeriu que as empresas enquadrassem os funcionários na MP 936, que prevê a suspensão contratual temporária com manutenção de parte do salário em lugar de fazer as demissões em massa. Procurado na ocasião, o Setut disse que não iria se manifestar porque as negociações ainda aconteciam no âmbito de cada empresa separadamente.

Setut diz que foi pego de surpresa com anúncio da greve

Hoje, a reportagem do Portal O Dia buscou o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Teresina (Setut). Por meio de nota, a entidade informou que as empresas foram surpreendidas na manhã de hoje com a greve dos motoristas e cobradores. De acordo com o Setut, o Sintetro não oficializou a paralisação conforme determina a lei que também prevê, em casos de greve, a manutenção dos 30% do transporte público em circulação.

O Setut ressaltou que, por conta da pandemia de coronavírus, somente os 30% mínimo da frota já estavam circulando. O Sindicato Patronal informou que “acionará os órgãos responsáveis para que sejam tomadas as medidas cabíveis e a população não seja ainda mais penalizada”.

Por fim, a entidade declarou que ainda não houve acordo nenhum entre as empresas e o Sintetro. As reuniões que ocorreram mediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego para evitar as demissões não chegou ainda a um consenso.

Por: Maria Clara Estrêla/O Dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *