Narrador demitido processa a Globo e pede R$ 15 milhões de indenização

Profissional cobra reconhecimento de direitos trabalhistas no período em que atuou como PJ

O locutor esportivo Jota Júnior abriu processo contra o Grupo Globo na Justiça do Trabalho. De acordo com informação publicada pelo site Notícias da TV nesta quarta-feira, 14, ele cobra reconhecimento de direitos trabalhistas. Ao todo, o narrador pede indenização de R$ 15,8 milhões.

Jota Júnior trabalhou para o Grupo Globo, sobretudo para o canal esportivo Sportv, por 24 anos. O vínculo entre as partes chegou ao fim em março, quando acabou demitido.

Em boa parte do tempo em que trabalhou para o Sportv, o narrador atuou como pessoa jurídica, modelo conhecido pela sigla PJ. Segundo o que os advogados alegam na ação sob os cuidados da 82ª Vara do Trabalho de São Paulo, o profissional permaneceu por 20 anos nessa condição, sendo contratado via Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), o famoso registro na carteira, apenas em 2019.

Para chegar ao valor de R$ 15,8 milhões, a equipe jurídica de José Francischangelis Júnior — nome completo do locutor esportivo de 74 anos de idade — alega duas situações. Na primeira, cobra-se pelos tempos de PJ, com valores sobre férias e 13º salário. Outra alegação é que, no fim das contas, o profissional teve seu salário reduzido em cerca de 20% quando passou a trabalhar como CLT.

Jota Júnior e outras demissões recentes da Globo

Cade Globo
Foto: Divulgação/Rede Globo

O narrador Jota Júnior não foi o único a ser recentemente demitido do Grupo Globo. Somente no departamento de jornalismo esportivo, a empresa de comunicação demitiu os locutores Cléber Machado e Jaime Júnior, o comentarista Maurício Noriega e o repórter Régis Rösing.

Fonte: Revista Oeste

 

WhatsApp do Portal Saiba Mais: (89) 9 9922-3229

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Portal Saiba Mais