No primeiro duelo pela Série B, Cruzeiro vence o Vasco de virada no Mineirão

O sonho de voltar à elite é o mesmo, mas nesta quinta-feira à noite no Mineirão, quem levou a melhor no duelo de número 100 entre os rivais, foi o time mineiro, que fez 2 a 1 em cima do time carioca de virada.

O nome do jogo foi o meia Matheus Barbosa, autor dos dois gols do triunfo celeste.

O Cruzeiro se reabilitou da derrota para o Operário-PR, por 2 a 1, e chegou aos sete pontos, em 11.º lugar e fora de rebaixamento. Mesma pontuação do Vasco, em décimo lugar, que vinha de boa vitória sobre o CRB por 3 a 0.

O início do jogo foi movimentado. Armado no esquema 4-4-2 por Marcelo Cabo, o Vasco saiu na frente aos oito minutos.

Após bate-rebate no lado direito da área do Cruzeiro, o atacante Morato chuta truncado, a bola resvalou nas pernas de Ramon e sobe um pouco, o suficiente para encobrir o goleiro Fábio. Ele ainda raspou sua mão na bola, mas não evitou o gol.

Quem imaginava que o Cruzeiro entraria no desespero, acabou se enganando. Manteve seu ritmo no esquema 3-4-3 montado por Mozart Santos e empatou aos 14 minutos.

Marcinho cobrou escanteio do lado esquerdo, Rafael Sóbis desviou de cabeça no primeiro pau e no outro lado Matheus Barbosa apareceu para completar de canela.

Aos 27, Matheus Barbosa reapareceu para fazer o gol da virada em grande estilo em linda finalização na entrada da área que morreu no ângulo direito de Fábio.

Após a virada o Cruzeiro ganhou moral e passou a ter maior posse de bola. Disputado de forma intensa, o clima esquentou aos 35 minutos quando Rômulo, do Cruzeiro, e Bruno Gomes, do Vasco, se encararam no meio-campo.

O zagueiro cruzeirense Paulo chegou para apartar e levou a pior: recebeu uma cabeçada na boca e levou o cartão vermelho. Bruno Gomes também foi expulso, deixando 10 jogadores para cada lado.

Após a confusão, os dois times passaram a atuar da mesma maneira tática, no 4-4-1, com duas linhas de marcação e apenas um atacante, Rafael Sóbis, no Cruzeiro, e Cano, no Vasco.

Nos minutos finais, o Vasco finalizou duas vezes de fora da área Num chute de Cano, para fora, e depois com Riquelme, que exigiu um tapa na bola de Fábio no alto, mandando para escanteio.

Mas o segundo tempo foi totalmente diferente. Os dois times parece que desistiram de atacar. O Cruzeiro se posicionou na defesa na espera do vasco que, mesmo perdendo, não saiu ao ataque como se esperava. O jogo ficou amarrado, bem ao estilo da Série B.

Nos últimos minutos, o vasco tentou o empate na base da pressão. Criou duas chances, com Cano e Léo Jabá, mas com finalizações para fora.

No final de semana os dois times vão jogar pela sétima rodada. No domingo às 20h30, o Cruzeiro vai enfrentar o CSA no estádio Rei Pelé, em Maceió (AL). No mesmo dia, a partir das 21 horas, o Vasco vai receber em São Januário o Brusque.

Fonte: Estadão Conteúdo

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *