Padre acusado de engravidar jovem não nega relacionamento e é afastado

A Diocese de Campo Maior decidiu pela permanência de sua desvinculação de qualquer atividade pastoral. O sacerdote nega a tese das gravidezes e abortos.

A Diocese de Campo Maior divulgou uma nota de esclarecimento na tarde deste sábado (24), acerca do caso envolvendo o Padre Alcindo Saraiva Martins, acusado de engravidar uma jovem por duas vezes, o que gerou dois possíveis abortos, sendo um deles por sugestão do próprio religioso.

De acordo com o comunicado, o sacerdote não nega o envolvimento com a jovem, porém contestou a tese de gravidez e aborto. A nota esclarece ainda que a jovem entregou a Dom Francisco de Assis, bispo diocesano, uma carta escrita e assinada por ela, afirmando que nunca esteve grávida, e que, consequentemente, não houve aborto. Na carta, ela ainda afirma ter usado a gravidez como argumento para continuar mantendo uma relação com o sacerdote.

“Considerando as graves denúncias, o atentado ao sexto mandamento e que não houve atentado à vida, o bispo diocesano determinou por meio de decreto a suspensão das funções do sacerdote como pároco da Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré, ficando ele proibido do uso de ordens em todo o território diocesano. O decreto ainda determinou a obrigação do padre em realizar um tirocínio espiritual extra muro de pelo menos 15 dias, a apresentação do seu cronograma de acompanhamento terapêutico sob o enfoque da psicoterapia do equilíbrio emocional, a perda de suas funções como padre referencial para o Setor Juvenil da diocese, a perda da função de instrutor de disciplina acadêmica no Seminário Propedêutico Diocesano, a suspensão do ofício de chanceler, e que ficasse proibido de falar sobre o assunto”, diz trecho do posicionamento.

Segundo ela, que era integrante do coral da paróquia de Nossa Senhora de Nazaré, os dois iniciaram um relacionamento amoroso ainda no ano de 2019.  Tudo teria tido início quando Alcindo Saraiva comentou uma foto dela, postada em uma rede social. A partir daí, ele teria passado a elogiar suas publicações, onde ela acabou até questionando o motivo de tanta atenção. “Perguntei o porquê das mensagens, ele disse que não tinha uma explicação, que estava interessado, mas não tinha coragem de chegar até mim. Disse que o meu jeito tinha o encantado, ele mandava várias mensagens, começamos a conversar até que um dia ele disse que estava apaixonado, que já tinha namorado uma menina e que era muito discreto”, disse.

Dom Francisco decidiu em decreto publicado no dia 18 de setembro,  pela permanência da desvinculação de qualquer atividade pastoral e assessorias local ou regional do padre, ficando ele ainda proibido de assistir ou ministrar sacramentos, participar de lives nas redes sociais, e a permanecer em silêncio público sobre o fato, bem como assumir a inteira culpa pelo desgaste a Igreja e às pessoas de boa fé. “Foi-lhe autorizado o uso de ordens apenas no território da Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré após o dia 1 de outubro e estabelecido a assinatura de um termo se comprometendo a realizar a ruptura com pessoas e fatos que provocaram vergonha e escândalo aos fiéis católicos desta Igreja Diocesana”, disse a Diocese ainda na nota.

Diocese de Campo Maior decide pela desvinculação permanente do Padre (Reprodução)

Por Meio Norte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *