Patos-PI: Taninha rebate oposição e prova que Joaquim Neto encontrou município quebrado

A vereadora Luzitânia Dias a “Taninha” (PSD), presidente da Câmara Municipal de Patos do Piauí, sempre atuante e comprometida com a verdade dos fatos, resolveu provar com extratos o que de fato ficou da gestão passada de saldo no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Taninha começa explicando: “Em dezembro de 2020 a gestão passada não pagou os professores, deixando em conta R$ 63.456.78 centavos. Sendo que em dezembro o repasse pra o Fundeb foi de R$ 343.713.60 centavos. Veja o extrato abaixo:

Desse valor o mesmo pagou somente os profissionais de serviços gerais. O valor da folha paga aos servidores de serviços gerais é R$ 25.369.80 centavos.

O gestor passado recebeu esse montante de R$ 343.713.60 e pagou somente serviços gerais, deixando os professores sem o salário de dezembro”, e explica “Esses R$ 63.456.78 deixado em caixa é um valor insignificante. Pois só de INSS da Educação a atual gestão pagou da gestão passada em torno de 300 mil.

A gestão passada deixou de pagar o INSS de novembro, dezembro e do décimo  terceiro.

Joaquim Neto assumiu dia 1º de janeiro, logo no dia 10 o INSS debitou tudo. Deixando o FPM zerado. Dia 20 de janeiro da mesma forma. Dia 10 de fevereiro foi outro desconto. Tudo isso, uma herança maldita da gestão passada. Isso, literalmente, inviabilizou a atual gestão”, relatou Taninha.

A vereadora foi taxativa: “Para o vereador que não tem conhecimento, a lei não permite usar Fundeb para pagar o ano anterior. É inconstitucional”, afirmou.

Diferente do gestor anterior, Taninha disse que os recursos do Fundeb de 2021,  o prefeito atual,  Joaquim Neto, honrou com todos os pagamentos.

A vereadora questiona: “Gostaria que o gestor anterior explicasse o que foi feito com R$ 254.887.08 centavos, já que o mesmo só pagou os serviços gerais e deixou R$ 63.456.08 em conta?”.

Diante dos fatos, a vereadora presidente da Câmara Municipal de Patos do Piauí, indaga: “Com todos esses dados, ainda existe vereador que tem coragem de dizer que o atual prefeito deveria pagar os professores. O mesmo deveria cobrar do ex-prefeito que foi o mesmo que recebeu tais recursos.

Joaquim Neto vem fazendo mágica pra pagar os servidores, uma vez que até esse momento, contou pouquíssimo com FPM, devido as dívidas herdadas do ex-gestor.

Encontrou um débito de energia elétrica do mês de novembro e dezembro. Quase 70 mil, onde o mesmo parcelou na Equatorial.

Até o momento não recebeu um centavo pra ajudar nas despesas do coronavírus. A gestão passada no ano de 2020 recebeu quase 1 milhão para custear as despesas da Covid 19. No entanto, só deixou apenas uma caixa para testes rápido.

A gestão atual vem enfrentando esse desafio de custear as despesas para essa finalidade”, revelou Taninha.

 

Por Portal Saiba Mais

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *