Pela 1ª vez, pesquisa aponta Teresina com queda na taxa de transmissão do coronavírus

Prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB), alertou, contudo, que Teresina pode estar no pico da pandemia e que situação não está “cor de rosa”.

Por Maria Romero, G1 PI

A última pesquisa sorológica realizada em Teresina, entre os dias 12 e 14 de junho, mostrou, pela primeira vez, uma queda na taxa de transmissão do coronavírus. O número de pessoas com o vírus ativo no organismo caiu pela primeira vez. Além disso, o R0 (taxa de transmissão por pessoa) ficou pela primeira vez, também, abaixo de 1. Contudo, leitos de UTI estão no auge de ocupação na capital e o reflexo da queda nas taxas de transmissão só deve ser sentido daqui alguns dias.

“Isso pode indicar, pela primeira vez, que já passamos ou estamos muito perto do pico de transmissão na cidade. Contudo, temos que ter cautela para afirmar isso. Na próxima semana é que teremos certeza, se esse quadro permanecer”, explicou o prefeito Firmino Filho (PSDB).

Número de pessoas com IgM positivo reduziu

Segundo a pesquisa, dessa vez, o número de pessoas com teste positivo para IgM caiu. IgM é um anticorpo que é encontrado nas fases iniciais da doença, ou seja, indicam que o vírus está ativo no corpo e a pessoa que tem esse teste positivo ainda está transmitindo o vírus.

Teste de Covid-19 — Foto: Reprodução/EPTV

Teste de Covid-19 — Foto: Reprodução/EPTV

Na penúltima etapa, entre os dias 5 e 7 de junho, havia um crescimento contínuo no número de pessoas com IgM positivo, ou seja, infectadas nos 14 dias anteriores à testagem. O total era de mais de 40 mil pessoas, que estavam com o vírus ativo e podendo transmitir o coronavírus para os outros.

Contudo, na última semana, entre 12 e 14, esse número, pela primeira vez, caiu. De 40 mil para 34 mil. Ou seja, menos pessoas estavam com o vírus ativo e podendo infectar outras pessoas.

R0 menor que 1

Este é um dos principais indicativos, segundo o prefeito já havia informado em apresentações anteriores da pesquisa, para considerar uma abertura do comércio. Esta taxa indica para quantas pessoas um paciente infectado é capaz de transmitir o vírus.

Desde o início da pesquisa, esta taxa sempre esteve acima de 1,3. Indicando, portanto, que um paciente estava transmitindo para pelo menos mais uma pessoa. Nesta etapa da pesquisa, contudo, pela primeira vez Teresina registrou um R0 menor que 1, com taxa de 0,83.

UTIs estão com 80% de ocupação

O prefeito explicou, contudo, que o reflexo nessa queda da taxa de transmissão será “visto” apenas daqui alguns dias. Isso porque, no momento, o número de leitos de UTI ocupados está em sua taxa máxima no momento. Na capital chega a 80%. Somente no setor privado, o índice chega a 90%.

“Isso porque essas pessoas que estão procurando os hospitais agora foram infectadas em uma etapa anterior da pesquisa, há sete, 10 ou 14 dias, devido ao período de incubação do vírus. Portanto, só vamos ver se essa queda nas taxas são reais daqui alguns dias”, explicou.

O número de consultas relacionadas a síndromes gripais também atingiu seu recorde nesta semana, na capital. No início de abril, eram cerca de 150 consultas diárias. Nesta semana, foram mais de 1,8 mil consultas em um único dia.

‘Hora de reforçar o isolamento e possibilidade de lockdown’

Para o prefeito, os bons dados indicam que não é hora de relaxar o isolamento social. Segundo ele, quanto mais as pessoas se mantiverem isoladas neste momento, mais rapidamente a capital poderá voltar a funcionar “normalmente”. Além disso, cogitou a chance de lockdown para os próximos dias, com o objetivo de garantir a saída do pico de casos com segurança.

“A hora é de dar um ‘sprint final’ nessa corrida rumo à normalidade. Não é hora de relaxar, vamos ter que esperar tudo isso passar para sairmos mais rápido, mas a realidade ainda é grave. Vamos esperar mais uns dias, semanas, para poder sairmos bem. Não passamos pela dificuldade de outras cidades, isso dá uma falsa sensação de tranquilidade, que não é real. Alguns tentam negar a realidade. A pesquisa dá uma luz de esperança e para colher os frutos, em vez de afrouxar o isolamento, temos que reforçar”, disse.

Segundo ele, haverá uma conversa em busca de entendimento com o governo do Piauí e com o Ministério Público para um reforço no isolamento nos próximos dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *