Piauí tem 4º caso confirmado de Febre do Nilo Ocidental

Primeiro caso humano foi registrado no município de Aroeiras do Itaim – PI, em 2014.

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina, através do programa de Vigilância das Síndromes Neuroinvasivas, confirmou nesta terça-feira (15) o quarto caso de febre do Nilo Ocidental no estado do Piauí. Os outros três casos já confirmados da doença, no país, também haviam sido registrados no Piauí.

Segundo a FMS, trata-se de uma paciente do sexo feminino que sofreu quadro agudo de encefalite, inflamação do sistema nervoso, no mês de abril de 2019.

Febre do Nilo no Piauí
Febre do Nilo no Piauí

“A FMS está investigando a possibilidade de tratar-se de caso adquirido no Piauí (caso autóctone). Isso porque a paciente esteve nos municípios de Cabeceiras – PI e Lagoa Alegre – PI, nas semanas anteriores ao adoecimento. Ela foi internada no HUT e recebeu alta após tratamento, ficando com sequelas neurológicas”, explica o neurologista da FMS, Marcelo Vieira.

O vírus da febre do Nilo Ocidental é transmitido por meio da picada de mosquito infectado, geralmente do gênero culex. Os hospedeiros naturais são algumas aves silvestres, que atuam como amplificadoras do vírus e podem ser fontes de infecção para os mosquitos. Também pode infectar humanos, cavalos, primatas e outros mamíferos. Não há transmissão de pessoa a pessoa.

“A prevenção da doença dá-se através de medidas para minimizar a proliferação e o contato dos mosquitos com humanos. Todos os casos suspeitos em Teresina são notificados e investigados laboratorialmente para febre do Nilo Ocidental, em parceria com o Laboratório Central de Saúde Pública do Piauí e o Instituto Evandro Chagas”, finaliza Dr. Marcelo Vieira.

De acordo com a diretora de Vigilância em Saúde da FMS, Amariles Borba, o primeiro caso humano foi registrado no município de Aroeiras do Itaim – PI, em 2014.

“Desde então, outros dois casos haviam sido confirmados nos municípios de Picos – PI e Piripiri – PI, ambos em 2017. Os casos em equídeos já foram detectados nos estados do Ceará, do Espírito Santo e de São Paulo”, afirma.

Fonte: G1 Piauí 

Compartilhe:
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *