Piauí tem maior crescimento no número de pessoas que trabalham em casa no país

O Piauí teve o maior crescimento do país no percentual de pessoas que trabalham no próprio domicílio de residência porque não dispõem de estabelecimento exclusivo para o empreendimento. A informação faz parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgada nesta quarta-feira(26) pelo IBGE e que apresenta dados das características do mercado de trabalho brasileiro em 2019.

Em 2019, o percentual de pessoas trabalhando em casa no Piauí chegou a 8,7%. Em 2018, índice  era de 5,8%. A variação de 2,9 pontos percentuais foi a maior do Brasil no período.

O percentual do Piauí (8,7%) é o segundo maior do país, ficando atrás do Ceará e do Rio Grande do Norte, ambos com 10%. A média nacional é de 6%.

Quanto ao percentual de trabalhadores que exercem suas atividades em estabelecimento do próprio empreendimento ao qual é vinculado, o Piauí possui o menor percentual do país (40,4%). Apesar disso, é o local de exercício do trabalho que concentra mais pessoas ocupadas no estado. A média brasileira é de 58,4%.

O Piauí tem o terceiro maior percentual (22,6%) de pessoas que trabalham em estabelecimentos rurais, como fazendas, sítios, granjas, chácaras e etc. O valor fica bem acima da média do país (10,4%). Apenas Rondônia (27,3%) e Tocantins (23,3%) possuem percentuais superiores ao Piauí.

Cerca de 17,5% dos trabalhadores do Piauí exercem suas atividades em local designado pelo empregador, patrão ou freguês, valor acima do verificado para o Brasil (14,2%). Aproximadamente 4,8% trabalham em veículos automotores no estado, enquanto esse percentual é de 5,1% no país.

Apenas 2,7% trabalham em via ou área pública no Piauí, abaixo da média nacional de 3,1%. Cerca de 1,6% trabalham em estabelecimentos de outros empreendimentos no Piauí, valor que é igual ao verificado no Brasil. Somente 0,9% dos trabalhadores do Piauí desempenham suas funções em domicílio do empregador, patrão, sócio ou freguês, pouco abaixo da média do país (1%). Aproximadamente 0,8% trabalham em outros locais no Piauí, percentual que é de apenas 0,2% no Brasil.

Informalidade 

No Piauí, 89,7% dos trabalhadores por conta própria não possuem registro em CNPJ, ou seja, estão atuando na informalidade. Esse percentual também é alto no Brasil (79,9%).

O estado em que a proporção é menor é o Paraná, com 68,1% dos trabalhadores por conta própria sem registro em CNPJ.

No Piauí, o percentual de pessoas ocupadas como conta própria com registro em CNPJ diminuiu entre 2018 e 2019: era 10,7% em 2018 e passou a 10,3% em 2019.

Considerando o período de 2012 a 2019, houve crescimento de 5,7 pontos percentuais, passando de 4,6% em 2012 para 10,3% em 2019.

Trabalhadores Sindicalizados 

Com percentual de 23,9%, o Piauí é o estado com a maior proporção de trabalhadores sindicalizados do país, posição que mantém desde 2012. O estado com menor percentual de sindicalizados é Alagoas (6,1%). No Brasil, a média de trabalhadores sindicalizados é de 11,2%.

O Piauí tinha 1,2 milhão de pessoas ocupadas em 2019. Destas, cerca de 310 mil estavam associadas a sindicatos. Já no Brasil, das 94,6 milhões de pessoas ocupadas no período, cerca de 10,5 milhões eram sindicalizadas.

Natanael Souza/Cidade Verde ( Com informações do IBGE)

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *