Polícia divulga esquema de organização criminosa que matou empresário no Piauí

Foto: divulgação PC-PI

Mais de 20 mandados em três estados, sete presos e três foragidos. Esse foi o resultado do inquérito da operação Sicário, da Polícia Civil do Piauí, sobre a morte do empresário Janes Cavalcante de Castro, assassinado em setembro de 2020, em Parnaíba, no litoral do estado. Em coletiva de imprensa foi divulgado o esquema da organização criminosa com a individualização da participação de cada investigado.

O delegado regional de Parnaíba, João Rodrigo Luna, revelou que a motivação foi financeira e a estimativa é que os gastos para o matar o empresário somem R$ 200 mil.

Foto: reprodução Youtube Click Parnaíba

“Esse valor é estimado pela quantidade de pessoas envolvidas, pelos recursos materiais comprados só para esse fim como carros e motos”, disse o delegado.

O empresário foi assassinado dentro do próprio carro. Câmeras de segurança mostram os executores em uma motocicleta seguindo a vítima. As imagens conseguiram flagrar criminosos que também deram apoio na ação em um carro.

Foto: divulgação PC-PI

ESQUEMA DA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA

Nesta sexta-feira (17), a Polícia Civil apresentou um organograma da organização criminosa durante coletiva de imprensa. Peças-chaves do crime foram descobertas ao longo da operação Sicário. Entre eles, o empresário Mário Roberto Bezerra Correia, conhecido como Nino, que está foragido.

“O Nino não esteve em Parnaíba, não emprestou o carro, não faz parte do núcleo executor, mas tem ligação direta com esse núcleo e pagou uma quantia a eles. Ele pode ser o mandante, mas também pode o intermediário entre o mandante e os executores. Para comprovar isso, dependemos do resultado de algumas perícias”, explica Luna.

Os outros dois foragidos são José Hiago Ferreira da Silva, apontado como um dos executores, e Evandro Tenório Britto, responsável por recrutar os demais envolvidos, de acordo com a Polícia Civil.

MANDANTE: ?

INTERMEDIADOR/ ELO DIRETO COM O MANDANTE/ RESPONSÁVEL POR CONTRATAR O RESPONSÁVEL PELA LOGÍSTICA: Mário Roberto Bezerra Correia, conhecido como Nino (foragido);

RESPONSÁVEL PELA LOGÍSTICA DO HOMICÍDIO E PELO RECRUTAMENTO DOS ENVOLVIDOS: Evandro Tenório Britto (foragido);

PARTÍCIPES: W.A.B, A.P.L (donos dos veículos) e I.S.S (esposa de um dos executores)

APOIO: Marcos Aurélio de Paiva Leal, José Robervan de Araújo;

EXECUTORES: José Hiago Ferreira da Silva (foragido) e Edson Carlos Veríssimo da Silva.

Foto: divulgação PC-PI

INQUÉRITO TEM MAIS DE 2 MIL PÁGINAS

O delegado João Rodrigo Luna explica que o inquérito policial foi concluído devido ao encerramento do prazo. Contudo, ele ressalta que a investigação não acabou.

“Foi concluído devido ao prazo, por causa da prisões. Se a gente não concluísse, os investigados seriam soltos. Com as prisões e apreensões, conseguimos avançar muito. O inquérito está bastante robusto com mais de 2 mil páginas. Estamos aguardando o resultado de algumas perícias e será instaurado um novo inquérito. Eles serão denunciados pelo MP. A investigação continua”, finaliza o delegado.

Graciane Sousa, Cidade Verde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *