Processo é arquivado, e Felipe Melo está livre para final da Libertadores

O volante Felipe Melo não terá qualquer problema para viajar ao Uruguai para a final da Copa Libertadores. O vice-presidente do Palmeiras, Alexandre Zanota, conduziu do Brasil, com um advogado uruguaio, a estratégia que resultou no arquivamento de um processo contra Melo em Montevidéu.

Por conta da briga ocorrida em 2017, após vitória do Palmeiras sobre o Peñarol, também pela Libertadores, Melo seria detido para depoimento ao desembarcar na capital uruguaia.

A partida contra o Flamengo será disputada em 27 de novembro. A delegação alviverde chegará ao Uruguai no dia 24. E Melo poderá seguir o mesmo cronograma dos demais jogadores.

BRIGA GENERALIZADA

O tumulto em 26 abril de 2017 se iniciou assim que o juiz decretou a vitória de virada do Palmeiras, por 3 a 2. Felipe está apontando ao céu, no que parece ser uma oração, quando jogadores do Peñarol começam a cercá-lo. Inevitavelmente, o tumulto se torna generalizado em segundos.

Felipe Melo acaba acertando um soco no meia Matías Mier, que hoje é jogador do Junior (COL). Ao tentar deixar o gramado, membros da delegação do Palmeiras encontraram os portões fechados, mesmo cenário encontrado pelos seguranças do Palmeiras que tentavam adentrar o gramado.

Enquanto isso, a torcida do Peñarol arremessava objetos e tentava invadir o setor reservado aos palmeirenses. Membros da torcida Mancha Alviverde formaram uma linha de frente para impedir a invasão, até que a Polícia chegou para controlar os ânimos, cerca de 20 minutos depois.

Tudo isso aconteceu porque Felipe Melo disse, ainda em sua apresentação no clube, no início daquele ano, que “daria tapa na cara de uruguaio” se necessário fosse. A afirmação infeliz, que tinha uma conotação figurada, foi levada ao pé da letra pelos jogadores do Peñarol.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *