Santo Antônio de Lisboa, a capital do caju, usa o fruto para produzir cajuína, doces e até pizza

Santo Antônio de Lisboa, a 344 km de Teresina, é conhecida como capital do caju. O pequeno município tem a maior área de concentração do fruto por metro quadrado. Além de ser fonte de renda para os produtores rurais, do caju se produz a bebida a cajuína, doces e até pizza.

“Estamos em um solo fértil para o caju, que é arenoso. Santo Antônio de Lisboa foi adotada como capital do caju porque é onde se encontra o maior centro de produção de muda de cajueiro do país e é daqui que sai os caminhões com o caju de mesa para os mercados das capitais. Devido a localização em um grande entrocamento rodoviário, o município fica próximo de todas as capitais do Nordeste”, explicou o presidente do Sindicato das Indústrias de Caju, Leonildo Neto.

A produtora rural Dalia usa o caju para produzir cajuína, bebida artesanal e 100% natural do fruto. Ela também aproveita a fibra do produto para preparar uma deliciosa pizza de caju. Confira abaixo a receita:

Pizza de caju usa fibra do fruto como recheio — Foto: Reprodução/TV Clube
Pizza de caju usa fibra do fruto como recheio — Foto: Reprodução/TV Clube

Modo de preparo

  • 1 colher de margarina
  • 2 dentes de alho
  • 1 cebola
  • 1 pintada de pimenta
  • cheiro verde
  • meio pimentão
  • corante a gosto
  • molho de tomate para pizza
  • queijo muçarela
  • 400 gramas de carne de caju
  • orégano
  • massa pronto para pizza

Modo de preparo

  • Em uma panela adicione todos os ingredientes para preparar a fibra de caju, que será o recheio da pizza.
  • Na massa pronta despeje o molho de tomate, depois a muçarela, o recheio de caju, cebolas e tomates, orégano .
  • Leve ao forno por 20 minutos.

Cajueiro anão

Plantações de caju em Santo Antônio de Lisboa, no Piauí — Foto: Reprodução/TV Clube
Plantações de caju em Santo Antônio de Lisboa, no Piauí — Foto: Reprodução/TV Clube

O verde da plantação de caju se destaca logo na entrada de Santo Antônio de Lisboa. Os cajueiros não chegam a 2 metros de altura, mas são super produtivos. Logo no primeiro ano de plantio, já é possível observar os primeiros frutos sendo produzidos.

O presidente do Sindicato das Indústrias de Caju, Leonildo Neto, explicou que o processo começa ainda durante o plantio da muda.

“A gente planta uma castanha normal e depois consegue uma galha do cajueiro para injetar na muda. A partir disso ela é coberta e podada igual um cajueiro normal. Com o tempo ele se transforma em cajueiro precoce e anão”, contou.

Para incentivar a produção local, a Associação Piauiense de Produtores de Sementes e Mudas conta com um viveiro de caju com 20 mil mudas da planta. A área é cuidadosamente cultivada, livre de praga e doenças, além de todos os equipamentos higienizados.

Caju fonte de renda

Produção de cajuína em Santo Antônio de Lisboa, no Piauí — Foto: Reprodução/TV Clube
Produção de cajuína em Santo Antônio de Lisboa, no Piauí — Foto: Reprodução/TV Clube

A partir do caju é possível produzir bebidas, como a cajuína e derivados do fruto. As fábricas em Santo Antônio de Lisboa aproveitam toda a matéria-prima e geram emprego na região.

“Conseguimos fazer uma parceria com os produtores, garantindo a eles uma compra direta, com isso temos êxito na compra e garantido à venda dos produtores. A previsão para este ano é de dobrar a produção da cajuína, devido a grande aceitação do produto no mercado, produto nobre e 100% natural”, destacou o empresário Elvis Batista.

Fonte: G1 PI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *