Santos supera o Grêmio e deixa a zona de rebaixamento

Foi no sufoco, mas o Santos conseguiu vencer o Grêmio em casa, com o apoio de sua torcida, por 1 a 0, e deixou a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Neste domingo, às horas martelou o adversário até o final, no estádio da Vila Belmiro, em Santos, e foi recompensado com um gol de Wagner aos 46 minutos do segundo tempo.

A opção por uma formação com três zagueiros dos dois times poderia sinalizar uma tentativa de amarrar mais o jogo. Mas o que se viu foi o oposto disso. Com as duas equipes precisando da vitória, o duelo teve ótimas chances de gol de ambos os lados e os dois goleiros tiveram de trabalhar bastante, principalmente no lado do Grêmio.

Logo aos dois minutos, Brenno espalmou o chute de Zanocelo. Pouco depois, Velázquez teve boa chance e cabeceou para fora. 

O time da casa, empurrado por sua torcida, ditava o ritmo da partida e quase abriu o marcador cedo, quando Marcos Guilherme fez ótima jogada e tocou para Marinho, que chutou rasteiro. Brenno espalmou e no rebote Marcos Guilherme quase marcou.

Depois dessa pressão inicial, o Grêmio aos poucos foi adiantando um pouco mais a marcação e passou a usar os contra-ataques em velocidade.

Em um deles, Alisson favorito ótimo lançamento e chutou cruzado, mas João Paulo salvou com o pé, evitando o gol dos gaúchos. Outra boa chance veio com Vanderson, que chutou com perigo, para fora.

Além das boas chances de gol a partida com contou entradas duras e firmes, principalmente no lado do Grêmio. Marinho a todo momento foi atingido com faltas e teve um duelo particular com Kannemann. 

E esse jogo truncado desacelerou um pouco como chances do Santos, que ainda tinha uma ótima cobrança de falta de Carlos Sanchez, mas Brenno fez linda defesa e mandou para escanteio.

Na etapa final, Carille abriu mão da formação com três zagueiros e tratou de mandar o time mais para o ataque. O Grêmio pulso o poder do adversário e recuperar um pouco mais, tratando de gastar o tempo e diminuir o ritmo do jogo. Ainda insistia nas faltas para não deixar o rival criar suas jogadas.

Mas ciente de que só a vitória interessava, o técnico Felipão também abriu a mão da linha de três zagueiros e colocou mais jogadores ofensivos em campo. Isso fez com que a partida ficasse aberta, com chances dos dois lados. 

Nessa aposta, Carille levou a melhor. Nos acréscimos, Wagner aproveitou chute de Marinho e desviou para o gol. Houve alguns segundos de apreensão até o VAR confirmar a vitória do Santos.

Fonte: Estadão Conteúdo

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *