Segundo turno em Teresina tem recorde de abstenções

Para se ter uma ideia, o número de eleitores que deixaram de comparecer às urnas é mais que o dobro do registrado em 2016

Em um cenário de pandemia do novo coronavírus, o segundo turno da disputa pela Prefeitura de Teresina teve recorde de abstenções, no comparativo aos pleitos anteriores. Para se ter uma ideia, o número de eleitores que deixaram de comparecer às urnas é mais que o dobro do registrado em 2016. A disputa na capital piauiense terminou com a vitória do emdbista Dr Pessoa, que governará o município pelos próximos quatro anos.

Ao todo, no domingo 29 de novembro, deixaram de exercer o seu direito ao voto, 138.484 eleitores, o que representa 24,79% dos teresinenses aptos a votar. O número é similar a quantidade de votos recebida pelo tucano Kleber Montezuma, segundo colocado no pleito com 142.941 votos.

Para se ter ideia, no pleito de 2016, definido em primeiro turno, a abstenção foi de 11,73%, ou seja, pouco mais de 62 mil eleitores, e voltando a eleição municipal de 2012, a comparação também sintetiza a alta da abstenção neste ano, naquela eleição a abstenção foi de 18,47%, ou seja, pouco mais de 98 mil eleitores deixaram de votar.

 

Por Meio Norte

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *