Teresina: equipe da Rede Clube é agredida durante reportagem sobre descumprimento de decreto

Jornalistas acompanhavam trabalho da Guarda Municipal e da PM, que flagrou descumprimento do decreto de isolamento social

Uma equipe da Rede Clube foi agredida durante a gravação de uma reportagem no Centro de Teresina, na tarde desta terça-feira (05), quando acompanhava a ação da Guarda Municipal e da Polícia Militar, que fiscalizavam o funcionamento irregular de estabelecimentos comerciais, que estão impedidos de abrir por força de decreto do município para promoção do isolamento social, em razão da pandemia do novo coronavírus.

Em uma das lojas, onde os policiais identificaram a movimentação de clientes na parte interna, uma mulher começou a filmar o trabalho dos jornalistas e em seguida partiu em direção ao cinegrafista, que por pouco não teve a câmera derrubada. Depois, um homem também ataca a equipe, que recebe tapas.

As imagens das agressões foram exibidas durante o Piauí TV2 de hoje.

O caso foi denunciado à Polícia Civil, que vai abrir investigação contra os suspeitos.

“No caso, o cinegrafista registrou boletim de ocorrência, e a partir deste boletim de ocorrência nós instauraremos um procedimento policial para apurar o fato”, diz o delegado Sérgio Alencar. 

O profissional de imprensa será submetido a exame de corpo de delito.

Sindicatos divulgam nota

No início da noite, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Piauí (Sindjor-PI) e a Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ publicaram nota de repúdio às agressões contra os jornalistas, em que lamentam a omissão dos agentes da Guarda Municipal e da PM, que presenciaram o fato.

“O mais lamentável é que as agressões físicas praticadas pelo comerciante contra a equipe de reportagem da emissora de televisão, ocorreram na presença de agentes da Guarda Municipal de Teresina, que foram omissos na medida que presenciaram as agressões verbais e físicas e não agiram para impedi-las”, diz.

O sindicato pediu ainda que a prefeitura adote medidas no sentido de que a força de segurança municipal impeça atos de violência contra os profissionais de imprensa, principalmente nas coberturas jornalísticas durante as fiscalizações realizadas.

Fonte: 180graus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *