Acusado de matar namorada a tijoladas na frente do filho em Teresina é condenado a 32 anos de prisão

O Tribunal Popular do Júri condenou Alexandre Carvalho Sousa, acusado de matar a tijoladas a namorada Lídia Maria da Silva, a 32 anos de prisão. Os dois tiveram um relacionamento por pouco mais de um ano. A mulher foi assassinada em 2021, na frente do filho, uma criança de sete anos de idade, que foi encontrada sozinha na casa onde morava.

O julgamento teve início pela manhã e terminou no início da noite desta terça-feira (21). O conselho de sentença foi formado por quatro homens e três mulheres, em sessão presidida pela juíza Maria Zilnar Coutinho Leal, da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Teresina.

De acordo com  o promotor de justiça Antenor Filgueiras, o testemunho da criança foi fundamental para que fosse comprovada a culpabilidade do acusado. Ele citou que o maior desfio diante do Tribunal do Juri foi fazer com que entendessem a relação de “socioafetividade” entre a criança e a vítima, uma vez que ela era filha biológica de outra mulher, mas era criada por Lídia.

“O que foi o que foi mais difícil fazer com que os jurados entendessem foi a situação da socioafetividade, porque a criança pra mim foi a peça chave na elucidação desse crime porque presenciou o homicídio da mãe, ele tinha uma relação com ela, era uma filiação sócio afetiva. (…) a criança até os 7 anos esteve com a mãe e foi a criança que presenciou e que realmente elucidou a morte da mãe”, explicou.

Alexandre Carvalho Sousa já estava preso na Penitenciária de Timon por um outro caso de feminicídio contra uma ex-companheira, que também ocorreu na frente de uma criança, que era filha da vítima.

“Ele era foragido da justiça porque ainda devia o primeiro feminicídio que ele cometeu, que foi também com outra companheira, o mesmo modus operandi, levando a moto, cometendo o feminicídio na frente dos filhos, de crianças, só que nesse caso, a criança era só a filha da vítima, levando a moto, sendo foragido, mentindo demais.  Então eu acredito que ele vai passar muito tempo longe do convívio social”, citou.

Sobre o crime

Lídia Maria foi vítima de feminicídio em outubro de 2021, no bairro Aroeiras, zona Sul de Teresina. Segundo denúncia apresentada pelo Ministério Público, o casal namorava há mais de um ano e participou de uma festa em uma residência, mas após saírem do local, iniciaram uma discussão, na qual a vítima teria sido agredida em frente a uma residência, na presença do filho.

Consta ainda que ela correu e retornou com o filho para a residência onde estava ocorrendo a festa com um machucado na cabeça, mas ela teria sido seguida pelo acusado. Apesar da discussão e agressão, a vítima aceitou subir na moto do acusado, junto com o filho, e foi a última vez que ela foi vista com vida.

A criança foi encontrada depois sozinha dentro da residência onde morava com a mãe. Atualmente, Alexandre Carvalho está preso na Penitenciária Jorge Vieira, na cidade de Timon, no Maranhão, por um crime de homicídio.

Mais julgamentos nesta semana

A Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (CEVID) do Poder Judiciário do Piauí iniciou, nesta segunda-feira (20), a 25ª edição da Semana da Justiça pela Paz em Casa, um esforço concentrado para agilizar o julgamento de processos de violência doméstica e familiar no Estado. A previsão é que oito julgamentos por feminicídio aconteçam nesta semana.

 

Fonte: Graciane Araújo e Francisco José


WhatsApp do Portal Saiba Mais: (89) 9 9922-3229 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Portal Saiba Mais