Aluna da USP que desviou quase R$ 1 mi de festa tranca curso de Medicina

A estudante da USP Alicia Dudy Muller Veiga, que confessou ter desviado R$ 937 mil da comissão de formatura de sua turma, trancou o curso de Medicina no último dia 24 de janeiro.

A informação foi confirmada pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo).

Alicia já confessou à polícia que desviou R$ 937 mil da formatura e que usou parte do dinheiro em benefício próprio.

Além de um carro avaliado em R$ 120 mil, a polícia apreendeu três cartões de crédito, um HD, um tablet avaliado em R$ 6.000, dois celulares e um notebook. O iPhone era alugado por R$ 3.000 por ano.

O MPSP acredita que Alicia se enquadra no artigo 171 do Código Penal, que consiste na prática de golpes.

Neste caso, a pena varia de um a cinco anos de prisão. Já a polícia considerou que a estudante cometeu nove vezes o crime de apropriação indébita.

Com pena prevista de um a quatro anos por cada crime, ela poderia ser condenada a até 36 anos de prisão. Diferentemente do que ocorre na apropriação indébita, no estelionato a lei exige que as vítimas façam uma “representação criminal”.

Por essa razão, o promotor devolveu o inquérito à polícia para que os alunos prejudicados se apresentem e deixem explícito o desejo de ver a punição de Alicia, para discriminar “o prejuízo suportado por cada um deles”. O MP discordou do pedido de prisão preventiva feito pela Polícia Civil.

ADVOGADO DE ALICIA CONTESTA

À reportagem, o advogado de Alicia, Sérgio Ricardo Stocco Giolo, disse que agora é “aguardar as novas diligências” e protestou contra o pedido de prisão preventiva, que só poderia ser solicitada em caso “excepcional”.

“Os fundamentos apresentados são vagos e por isso não são válidos para justificar o pedido da prisão preventiva, porque nada dizem sobre a real periculosidade da acusada”, declarou o advogado.

Fonte: Folhapress

WhatsApp do Portal Saiba Mais: (89) 99922-3229

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Portal Saiba Mais