Em jogo de poucas chances, Flamengo vence o Atlético-MG e se mantém na briga pelo título do Brasileirão

O atacante Michael, no primeiro tempo, marcou o único gol da partida no Maracanã

No futebol, há quem diga que “final não se joga, se vence”. É foi exatamente o que o Flamengo fez neste sábado, ao bater o Atlético-MG no Maracanã, por 1 a 0. O título do Brasileirão não estava, literalmente, em jogo, mas o resultado devolve o time de Renato Gaúcho à vice-liderança e o mantém na disputa com o Galo. O único gol do confronto foi do atacante Michael, na primeira etapa.

A partida era encarada como uma decisão pelo Flamengo, que, além do Galo, superou sete desfalques neste sábado. Com o resultado, o time de Renato Gaúcho chegou aos 49 pontos, e está a 10 do líder Atlético-MG – mas com três jogos adiados a disputar, enquanto a equipe de Cuca tem uma rodada adiada.

SUBSTITUTOS COLOCAM FLAMENGO EM VANTAGEM

Antes mesmo da bola rolar, o momento do Galo, que chegou completo ao Maracanã, já era de menos pressão em relação ao rival. O Flamengo, por sua vez, tinha seis baixas certas para o jogo e ganhou mais uma no aquecimento: Rodrigo Caio sentiu dores no joelho e foi substituído por Gustavo Henrique.

Diante dos desfalques, Ramon e Michael iniciaram a partida e foram os nomes de destaque na primeira etapa. Substituto de Filipe Luís, o lateral-esquerdo fez o papel defensivo e segurou os avanços de Hulk pela sua área. Já o camisa 19 aproveitou a assistência de Bruno Henrique para abrir o placar no Maracanã, aos 24 minutos. Foi o primeiro de dois chutes do Flamengo na primeira etapa.

GALO SOFRE PARA CRIAR E VOLTA COM DIEGO COSTA

As 22 faltas antes do intervalo – 11 para cada lado – também deixaram o jogo do Atlético-MG travado. Após o gol sofrido, o time de Cuca aumentou o volume ofensivo, mas sem conseguir criar chances claras. Hulk e Keno arriscaram mas não levaram perigo à meta de Diego Alves. Assim, voltou para a segunda etapa no Maraca com Diego Costa no lugar de Guga, pendurado com cartão amarelo.

A vantagem permitiu ao Flamengo marcar mais atrás e, com velocidade no contra-ataque, agredir o rival. O Galo também precisava de poucos passes para fazer a transição e rondar a área de Diego Alves. Assim, foram 20 minutos de tensão no Maracanã, nos quais Cuca ainda acionou Vargas, Mariano e Savarino. As finalizações, contudo, seguiram sem a direção. Apenas Michael obrigou uma defesa de Everson, e, na sequência, Arana cabeceou no travessão do Flamengo.

PLACAR INALTERADO: FESTA DO FLAMENGO!

O cenário seguiu o mesmo até o final: o Atlético-MG com a posse de bola, mas sem conseguir superar a defesa do Flamengo. Méritos para Ramon, Gustavo Henrique, Léo Pereira & Cia, que garantiram uma solidez defensiva à equipe. Parecia que, por mais tempo que tivesse, o Galo não marcaria. E foi assim, até o apito final do árbitro Anderson Daronco após sete minutos de acréscimo.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 1×0 ATLÉTICO-MG

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data e hora: 30 de outubro de 2021
Árbitro: Anderson Daronco (Fifa/RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (Fifa/RS) e Michael Stanislau (RS)
VAR: Daniel Nobre Bins (RS)

Público/Renda: 23.594 pagantes / 24.696 presentes / R$ 1.323.560,00

Cartão amarelo: Everton Ribeiro, Bruno Henrique, Diego Alves e Rodinei (FLA); Guga e Nathan Silva (CAM)
Cartão vermelho: Não houve.

Gols: Michael (1-0, 24’/1ºT)

FLAMENGO (Técnico: Renato Gaúcho)

Diego Alves; Isla, Gustavo Henrique, Léo Pereira e Ramon (Renê, 37’/2ºT); Willian Arão, Andreas Pereira e Everton Ribeiro (Rodinei, 42’/2ºT); Michael (Thiago Maia, 29’/2ºT), Bruno Henrique (Bruno Viana, 42’/2ºT) e Gabigol (Vitinho, 42’/2ºT)

ATLÉTICO-MG (Técnico: Cuca)

Everson; Guga (Diego Costa, Intervalo), Nathan Silva, Alonso e Arana; Jair, Allan (Natan, 37’/2ºT), Zaracho (Mariano, 15’/2ºT) e Nacho Fernández (Savarino, 15’/2ºT); Keno (Vargas, 15’/2ºT) e Hulk.

Por Lance!

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *