Enfermeira registra boletim de ocorrência após ser agredida por paciente dentro de hospital no PI

De acordo com informações da família da paciente repassadas à direção do hospital, a mulher teria histórico de problemas psiquiátricos.

Por Glayson Costa* e Catarina Costa, G1 PI

A enfermeira Núbia Almeida registrou boletim de ocorrência nesta segunda-feira (13) após ser agredida por uma paciente durante atendimento no Hospital Regional Doutor João Pacheco Calvacanti, em Corrente, Sul do Piauí. O caso ocorreu durante o plantão na madrugada de sábado (11).

Ao G1, a profissional de saúde contou que a paciente foi atendida normalmente e logo após a medicação começou a agredir verbalmente e a ameaçá-la com uma pedra. Ao ser contida pelo porteiro do hospital, a mulher agrediu o funcionário. Veja o vídeo abaixo:

“A paciente ficou do lado de fora jogando pedras em direção a nossa equipe, mas felizmente não acertou. Então eu liguei para a Polícia Militar, que deslocou uma equipe. Quando estava relatando aos policiais sobre a ocorrência, ela se levantou e me deu um tapa no rosto”, contou.

Hospital de Corrente, Sul do Piauí — Foto: Divulgação / Sesapi

Hospital de Corrente, Sul do Piauí — Foto: Divulgação / Sesapi

A paciente e o acompanhante foram conduzidos pela Polícia Militar. Segundo a enfermeira, ainda dentro da viatura a paciente chegou a fazer ameaças contra ela.

“Ela falou que quando me encontrasse na rua iria me furar de faca. Não é a primeira vez que essa paciente, que se diz psiquiátrica, tenta me agredir. Inclusive toda vez que vinha para o atendimento me agredia verbalmente e tentou me agredir fisicamente outras vezes”, revelou.

Núbia Almeida registrou boletim de ocorrência na Delegacia de Corrente. A profissional juntamente com o hospital pretendem entrar com uma representação no Ministério Público do Estado solicitando um policial armado para fazer a segurança do local.

“Esse tipo de agressão tem se tornado cada vez mais frequente e nós profissionais de saúde estamos vulneráveis”, comentou.

Posicionamento da Secretaria de Saúde

De acordo com nota emitida pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), um homem e uma mulher chegaram à emergência do hospital buscando atendimento para a mulher, que estava com a pressão arterial alterada e, depois de medicada, ela [a paciente] ficou nervosa e começou a agredir verbal e fisicamente a enfermeira que estava no atendimento. O homem que acompanhava a mulher também teria se alterado e agrediu verbalmente os profissionais.

Ainda de acordo com Sesapi, a direção do hospital acionou a Polícia Militar para controlar a ocorrência e, quando a viatura chegou, a paciente ficou ainda mais descontrolada e chegou a dar um tapa no rosto da enfermeira, jogou pedras na direção da profissional de saúde que atingiram o portão do hospital e um veículo de uma funerária estacionado nas proximidades.

Segundo informações da família da paciente repassadas à direção do hospital, a mulher tem histórico de problemas psiquiátricos e já seria a terceira vez no mês que teria dado entrada na emergência do hospital com o mesmo comportamento em relação aos profissionais de saúde da unidade.

A Sesapi e a direção do hospital se pronunciaram através de nota repudiando o que foi classificada como prática inadmissível e informou, ainda, que as devidas providências legais para o caso estão sendo tomadas. Leia o texto na íntegra.

Nota de repúdio

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) e a Direção Geral do Hospital Dr João Pacheco Cavalcanti, localizado no município de Corrente, vem por meio dessa nota repudiar os atos de agressões físicas e verbais que os nossos profissionais da saúde sofreram na noite do dia 10/07/2020, por parte de um casal.

Os dois chegaram à emergência do hospital buscando atendimento para a mulher, que estava com a pressão arterial alterada. Depois de medicada, ela ficou nervosa e começou a agredir verbal e fisicamente a enfermeira que estava no atendimento. O acompanhante também se alterou e teve o mesmo comportamento, com atos de violência verbal contra os profissionais.

A direção do Hospital acionou a Polícia Militar para controlar a ocorrência e quando a viatura chegou, a paciente ficou ainda mais descontrolada e chegou a dar um tapa no rosto da enfermeira; jogou pedras na direção da profissional de saúde que atingiram o portão do hospital e um veículo de uma funerária estacionado nas proximidades.

Segundo informações da família da paciente repassadas à direção do hospital, a mulher tem histórico de problemas psiquiátricos e já seria a terceira vez no mês que teria dado entrada na emergência do hospital com o mesmo comportamento em relação aos profissionais de saúde da unidade.

Salientamos que essa prática é inadmissível e repudiamos toda e qualquer ação contra nossos profissionais da saúde. Os nossos colaboradores merecem todo respeito. Informamos ainda que estamos tomando as devidas providências legais para o caso.

*Glayson Costa, estagiário sob supervisão de Catarina Costa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *