Enfermeiro piauiense é encontrado morto com sinais de tortura em Brasília

O enfermeiro André Lopes Barros, natural de Bom Jesus, Sul do Piauí, foi encontrado morto na tarde desta segunda-feira (04/04) com sinais de tortura e abuso na cidade de Ceilândia, no Distrito Federal.

André Lopes Barros, conhecido também como André Sinhá, foi encontrado no apartamento onde morava sem vida por um amigo, após ficar dois dias sem dar notícias ou atender a porta.

A vítima estava com as mãos amarradas com o fio de um ferro de passar roupas e nu.

À imprensa local, o amigo de André Sinhá, que não se identificou, disse que o piauiense saiu com amigos na sexta-feira (1º/04), quando visitou dois bares antes de voltar para seu apartamento.

O amigo do piauiense foi ao encontro de André em seu apartamento no sábado, mas ele não atendeu a porta. Voltou no domingo, e ele também não atendia a porta e nem respondia as mensagens de texto, segundo relatou o amigo à imprensa de Brasília.

Na segunda-feira (04), o proprietário do apartamento alugado por André Sinhá foi acionado pelo amigo para abrir o imóvel. Ao entrarem, encontraram a casa revirada e a geladeira aberta com as carnes para fora.

O amigo foi até o quarto do piauiense, que estava com a porta trancada. Após arrombarem a porta, encontraram o corpo de André Sinhá.

“Quando olhei perto da cama, meu amigo estava nu, com sinais de como tivesse sofrido abuso”, relembrou à imprensa local o amigo do piauiense.

O Cidadeverde.com entrou em contato com a Polícia Civil do Distrito Federal que alegou que as diligências estão em andamento e as investigações avançam no sentido de localizar e responsabilizar o autor dos fatos.

A princípio, a Polícia do DF trabalha com a hipótese de homicídio.

O corpo foi removido pelo Instituto de Medicina Legal e deverá ser liberado para a família na quarta-feira (06/04).

O caso será investigado pela 15ª Delegacia de Polícia de Ceilândia.

Nataniel Lima/Cidade Verde

 

WhatsApp do Portal Saiba Mais: (89) 99922-3229

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *