Estoque de 18 medicamentos usados contra a covid zera nos hospitais públicos do Piauí

Um levantamento feito e divulgado pelo Conselho Regional de Medicina do Piauí (CRM-PI) mostra que está faltando pelo menos 18 medicamentos usados no tratamento da covid-19 em vários hospitais públicos. Enfrentam dificuldade as unidades de saúde: Hospital de Urgência de Teresina (HUT), Hospital Infantil Lucídio Portela (HILP), Maternidade Dona Evangelina Rosa (MDER), Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela (IDTNP), Hospital Universitário (HU), Hospital da Polícia Militar (HPM) e Hospital Getúlio Vargas (HGV). Veja aqui o relatório.

Entre os medicamentos com estoque zerado estão sedativos, antibióticos, anestésicos, relaxantes musculares, dentre outros. Muitos deles usados em pacientes internados em UTI.

O Fentanil, por exemplo, está desabastecido em cinco hospitais. É uma medicação indicada para dor e também serve para ser ministrado com outros anestésicos. Já o Cisatracúrio, que é um bloqueador neuromuscular, acabou em seis hospitais. Só o Hospital Universitário ainda tem estoque. Outro medicamento em falta é o Midazolam. Ele é usado para induzir o sono. O estoque zerou em quatro hospitais.

Alguns medicamentos, como o Fentanil, não são padrão do hospital e por isso não há no estoque. É o caso do HUT. O mesmo acontece com a Vasopressina, Cisatracúrio e Pancurônio no HILP e o Rocurônio no HU.

A situação é mais preocupante no HPM, que registra estoque zerado de 13 medicamentos, seguido de HGV (11) e MDER (8). O HUT está sem estoque de apenas dois medicamentos e o HU três.

Diante da situação, o CRM fez um alerta para as autoridades de saúde. “O Conselho Regional de Medicina do Estado do Piauí, preocupado com a escassez de medicamentos utilizados para sedação e anestesia durante a atual pandemia, vem alertar as autoridades competentes que tomem as imediatas providências, a fim de que sejam evitados os possíveis desfechos desfavoráveis aos pacientes”, disse a presidente Conselho Miriam Palha Dias.

Foto: Arquivo Cidadeverde


Presidente do CRM, médica Mirian Palha Dias

Segundo a presidente, o desabastecimento atinge todo o país. “Em fiscalização recente de hospitais de Teresina, o CRM constatou que vários medicamentos já se encontram ausentes ou com pouco estoque nas farmácias dos hospitais fiscalizados. Faz-se necessária uma mobilização das autoridades competentes para buscar uma rápida solução, levando-se em consideração a interação entre os diversos segmentos, desde a cadeia produtiva até o armazenamento e o uso racional desses medicamentos”, afirmou.

Em nota, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) informou que já deu entrada no processo de aquisição dos bloqueadores neuromusculares, porém, como se trata de um problema nacional de falta do produto no mercado, sem previsão de regularização, as empresas que fornecem os medicamentos para a FMS estão com dificuldade para adquirir o produto.

“No momento, o HUT tem o referido medicamento em estoque. Em casos de ausência de alguma droga, outras drogas similares ou do mesmo grupo são utilizadas com a mesma eficácia”, disse a FMS.

Veja a nota na íntegra:

A FMS informa que já deu entrada no processo de aquisição dos bloqueadores neuromusculares, porém como se trata de um problema nacional de falta do produto no mercado, sem previsão de regularização, as empresas que fornecem os medicamentos para a FMS estão com dificuldade para adquirir o produto. No momento, o HUT tem o referido medicamento em estoque. Em casos de ausência de alguma droga, outras drogas similares ou do mesmo grupo são utilizadas com a mesma eficácia.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) informou que está com um pregão eletrônico aberto para a aquisição dos medicamentos que estão em falta no mercado, mas até o momento somente uma empresa se cadastrou, e para fornecer apenas um dos medicamentos que compõem o “kit intubação” para tratamento de pacientes com covid-19.

“O processo licitatório continua aberto para as demais empresas que estejam interessadas em participar”, disse a Sesapi.

Ainda de acordo com a Secretaria, na busca por solução emergencial para a falta dos remédios que compõem o kit, a Secretaria também está cadastrada em uma Intenção de Registro de Preços do Governo Federal,  aberta para a compra das medicações que estão em falta no mercado nacional e internacional, devido o aumento da demanda por conta da pandemia da Covid-19, que dificulta a aquisição dos insumos no mercado farmacêutico.

“A Sesapi vem buscando, desde o primeiro momento, alternativas para compra dos remédios do chamado “kit intubação”, que inclui cerca de 20 medicamentos usados para procedimentos cirúrgicos e sedativos em UTIs. Alem do Piauí, vários estados brasileiros estão com dificuldade de manter os estoques dos produtos”, informou a Secretaria.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) informa que está com um pregão eletrônico aberto para a aquisição dos medicamentos que estão em falta no mercado, mas até o momento somente uma empresa se cadastrou, e para fornecer apenas um dos medicamentos que compõem o “kit intubação” para tratamento de pacientes com covid-19. O processo licitatório continua aberto para as demais empresas que estejam interessadas em participar.

Na busca por solução emergencial para a falta dos remédios que compõem o kit, a Secretaria também está cadastrada em uma Intenção de Registro de Preços do Governo Federal,  aberta para a compra das medicações que estão em falta no mercado nacional e internacional, devido o aumento da demanda por conta da pandemia da Covid-19, que dificulta a aquisição dos insumos no mercado farmacêutico.

A Sesapi vem buscando, desde o primeiro momento, alternativas para compra dos remédios do chamado “kit intubação”, que inclui cerca de 20 medicamentos usados para procedimentos cirúrgicos e sedativos em UTIs. Alem do Piauí, vários estados Brás estão com dificuldade de manter os estoques dos produtos.

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

Medicamentos em falta por hospital, segundo o CRM:

HUT: 

  1. Fentanil 50mcg/ml 5ml* (medicação não é padrão da instituição de saúde, por isso não há em estoque)
  2. Cisatracúrio 2mg/ml
  3. Pancurônio 2mg/ml

HILP: 

  1. Ceftazidima 1g
  2. Vasopressina 20U
  3. Cisatracúrio 2mg/ml
  4. Pancurônio 2mg/ml

MDER: 

  1. Ceftazidima 1g
  2. Midazolam 50mg/10ml
  3. Dextrocetamina 50mg/ml
  4. Fentanil 50mcg/ml 5ml
  5. Atracurio 25mg/2,5ml
  6. Cisatracúrio 2mg/ml
  7. Pancurônio 2mg/ml
  8. Suxametônio 100mg

NATAN PORTELA:

  1. Dopamina 50mg
  2. Midazolam 15mg/3ml
  3. Dextrocetamina 50mg/ml
  4. Fentanil 50mcg/ml 5ml
  5. Atracurio 25mg/2,5ml
  6. Cisatracúrio 2mg/ml
  7. Rocurônio 50mg

HU:

  1. Ceftazidima 1g
  2. Noradrenalina 4mg
  3. Rocurônio 50mg

HPM:

  1. Ceftriaxona 1g EV
  2. Metilprednisolona 500mg
  3. Dopamina 50mg
  4. Heparina sódica 5000U/5ml
  5. Midazolam 15mg/3ml
  6. Midazolam 50mg/10ml
  7. Etomidato 2mg/ml
  8. Dextrocetamina 50mg/ml
  9. Fentanil 50mcg/ml 10ml
  10. Fentanil 50mcg/ml 5ml
  11. Atracurio 25mg/2,5ml
  12. Cisatracúrio 2mg/ml
  13. Rocurônio 50mg

HGV:

  1. Oseltamivir 75mg
  2. Noradrenalina 4mg
  3. Dopamina 50mg
  4. Midazolam 50mg/10ml
  5. Etomidato 2mg/ml
  6. Dextrocetamina 50mg/ml
  7. Fentanil 50mcg/ml 10ml
  8. Fentanil 50mcg/ml 5ml
  9. Atracurio 25mg/2,5ml
  10. Cisatracúrio 2mg/ml
  11. Rocurônio 50mg

Yala Sena/Cidade Verde

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *