Ex-PM que matou policial na frente do filho será transferido para presídio no Piauí

Francisco Ribeiro dos Santos Filho estava preso em um presídio militar, em São Luís, porém ele foi expulso da corporação.

O ex-policial militar Francisco Ribeiro dos Santos Filho, acusado de matar a tiros o cabo Samuel de Sousa Borges, em fevereiro de 2019, será transferido para presídio no Piauí. A decisão foi assinada pela juíza Maria Zilnar Coutinho Leal, da 2ª Vara do Tribunal Popular do Júri de Teresina.

Francisco também é acusado três homicídios em Teresina. Ele estava preso em um presídio militar, em São Luís, porém ele foi expulso da corporação e não tem mais o direito ao recolhimento dado aos oficiais.

Diante da expulsão, a magistrada determinou que o ex-policial seja imediatamente transferido para uma das unidades prisionais do Piauí, onde deverá permanecer à disposição da justiça.

Ofícios foram encaminhados para a Secretaria de Justiça do Estado do Piauí e o comandante da Polícia Militar do Maranhão, solicitando as providências para a transferência do acusado.

Morte do policial do Piauí

Policiais discutem durante abordagem e antes de homicídio — Foto: Reprodução

Policiais discutem durante abordagem e antes de homicídio — Foto: Reprodução

O cabo Samuel de Sousa Borges, do Batalhão de Rondas Ostensivas de Natureza Especial (BPRone), foi morto a tiros na frente do filho, próximo a uma escola na Zona Leste de Teresina, após uma discussão com o acusado.

A própria vítima gravou um vídeo (veja abaixo) no momento que aborda Francisco e em que é atingido por três disparos. De acordo com a Polícia Civil, Francisco Ribeiro estaria em atitude suspeita, em uma moto sem placa e portando duas armas.

Vídeo gravado por PM assassinado em 2019 é divulgado pela polícia

Veja o vídeo gravado por PM assassinado:

Francisco foi indiciado por homicídio qualificado por motivo fútil pela morte do cabo Samuel, de acordo com o inquérito do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP). Ele chegou a ser preso, mas foi solto em outubro de 2019 e será julgado no Tribunal do Júri, ainda sem data prevista.

Acusações

Delegado Francisco Costa, o Barêtta, coordenador do DHPP — Foto: Lucas Marreiros / G1

Delegado Francisco Costa, o Barêtta, coordenador do DHPP — Foto: Lucas Marreiros / G1

De acordo com a investigação, Francisco Ribeiro cometeu o primeiro homicídio em 16 de agosto de 2018. Felipe da Silva Araújo, de 30 anos, foi assassinado com três tiros após ter sido perseguido. “O acusado nega a autoria desse crime, diz que sua arma tinha sido roubada, mas não registrou queixa”, afirmou o coordenador do DHPP, delegado Francisco Costa, o Barêtta.

O policial militar maranhense também é acusado de matar Pedro Henrique de Sousa Florêncio, de 20 anos e Diego Armando Alves do Nascimento, de 16 anos, no dia 6 de dezembro de 2018. Ao DHPP, Francisco Ribeiro Filho disse que matou as vítimas porque elas tentaram roubar sua moto.

Por | G1 PI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *