Jogadores brasileiros falam sobre retorno aos treinos na Europa

Alguns países como Alemanha e Áustria autorizaram suas equipes a voltarem às atividades sob um rígido protocolo de segurança.

A Alemanha é o primeiro dos grandes centros de futebol mundiais a retornar gradualmente suas atividades esportivas. O processo, no entanto, acontece sob um rígido protocolo elaborado pelo governo e ela Liga de Futebol Alemã, a DFL. O brasileiro Wendell, 26, é um dos jogadores que também está voltando à rotina esportiva após mais de um mês parado.

Lateral esquerdo do Bayer Leverkusen, time que defende desde 2014, ele relata um pouco das mudanças no dia a dia para o retorno aos treinos. Tomar banhos após os treinos e almoçar junto dos demais colegas do elenco ainda são hábitos que estão sendo vetados por conta da necessidade de contato físico. 

“Houve muito respeito, organização e suporte no país para ajudar a todos. O respeito e a cultura do povo [alemão] foram fundamentais, mas é impossível não nos preocuparmos com os nossos no Brasil, é uma divisão de sentimentos”, diz Wendell.

Os jogadores também estão sendo submetidos a testes de temperatura na entrada dos Centros de Treinamento e precisam responder a questionários médicos relatando possíveis sintomas e contatos com pessoas infectadas. “Os cuidados são constantes e enormes. Fizemos testes e, inicialmente, treinamos em poucos grupos e horários diferentes. A entrada nos vestiários é restrita a um número de pessoas e funcionários”, afirma o atacante Matheus Cunha, 20 anos.


Foto: Reprodução/Instagram Bayer Leverkusen

Tendo chegado recentemente à Alemanha para atuar pelo Hertha de Berlim, pelo qual foi contratado e realizou apenas quatro jogos antes da paralisação, Cunha segue morando em um hotel com a esposa. Ele relata que todas as áreas usadas no CT passam por higienização. Além disso, os jogadores também estão tendo acompanhamento psicológico.

A Alemanha também procedeu recentemente com a realização de testes dos membros e funcionários de todos os 36 clubes da Bundesliga. Dez dos 1.724 testes feitos deram positivo para o coronavírus.

Na Áustria também alguns clubes voltaram às atividades na última semana de abril com cuidados semelhantes aos que têm sido tomados na Alemanha. O elenco do Red Bull Salzburg, por exemplo, foi dividido em quatro grupos com seis atletas, dois deles no CT e outros dois no estádio sempre em horários diferentes.

“Nas nossas locomoções precisamos usar máscaras, há um processo muito rígido e vemos que a maior preocupação é com a parte mental de cada um. Estamos felizes de voltar a treinar, claro, mas também é difícil sem um objetivo, sem data certa de quando vamos voltar [a jogar]”, diz o zagueiro André Ramalho, 28 anos.

Em outros países da Europa, como Espanha, Itália e Portugal, clubes foram autorizados a retornar aos treinos nesta semana e pretendem reiniciar suas ligas até junho. Por outro lado, França e Holanda encerraram suas temporadas. Na Inglaterra, alguns times retornaram às atividades, mas o futuro da Premier League ainda segue indefinido.

Fonte: Folhapress

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *