Teresina registra o menor isolamento social desde início da pandemia

O índice ficou abaixo dos 40% nesta terça. Cidade já chega a 580 casos de Covid. “Vamos terminar matando as pessoas” diz prefeito.

O teresinense segue sem cumprir o isolamento social, ignorando as regras da quarentena e indo no caminho inverso ao que se preconiza para a desaceleração da pandemia de Covid-19. Nesta terça-feira (05), a capital piauiense registrou seu pior índice de isolamento já registrado desde o início da pandemia e do estabelecimento dos decretos de quarentena.

 

De acordo com os dados divulgados pela Prefeitura de Teresina obtidos pela start-up InLoco, somente 38,9% dos teresinenses ficaram em casa no dia de ontem (05), ou seja, mais da metade da cidade estava nas ruas, circulando pelos comércios de bairro e pelos comércios do Centro. Vale lembrar que pelos decretos municipais, nenhum serviço que não seja considerado de cunho essencial está autorizado a funcionar e que o transporte público está operando restritamente para atender apenas aos profissionais destes setores de primeira ordem.

Pelos dados compilados pela PMT, Teresina já havia registrados índices baixíssimos de isolamento na última quarta-feira (29), e também na última segunda (04), quando somente 42% e 41 dos teresinenses havia permanecido em casa. O pico foi registrado no domingo (26), quando 58,8% da população obedeceu à quarentena e não saiu nas ruas.

É importante frisar que segundo as normas diretivas da OMS (Organização Mundial de Saúde), o ideal é que a taxa de isolamento social fique em pelo menos 73% para que a disseminação do coronavírus seja desacelerada. Não é que a pandemia chegará a fim com isso, mas evitará a sobrecarga do sistema de saúde e dará tempo para que gestores e pesquisadores trabalhem com folga em medidas mais efetivas conta a Covid-19.

Em suas redes sociais, o prefeito Firmino Filho lembrou que quanto menor o isolamento social, maior a contaminação da população pelo novo coronavírus. Hoje, Teresina amanheceu com 580 casos confirmados da doença, sendo que só nas últimas 24 horas, foram diagnosticados mais 40 pacientes com a Covid-19.

Pesquisa sorológica encomendada pela PMT revelou que há uma subnotificação considerável nos casos: cerca de 1.492 pessoas em Teresina devem estar infectadas pelo coronavírus em realidade, o que indica que para cada uma pessoa contaminada, existem outras 52 não notificadas.

O prefeito Firmino Filho detalhou as projeções da pesquisa: “os testes mostram o crescimento do novo coronavírus em Teresina. Isto está acontecendo de forma tão rápida que a estimativa é que na próxima semana mais de 20 mil pessoas possam se infectar na cidade”, disse o gestor.


“Os economistas sabem como ressuscitar uma economia, sabem como reerguer uma firma. Mas os médicos não sabem como ressuscitar uma vida”, disse Firmino – Foto: Elias Fontinele/O Dia

Em suas redes sociais, o prefeito fez um apelo: “Muitas pessoas estão preocupadas com suas empresas. Entendemos. Mas é buscando salvar empresa neste momento, que elas vão terminar matando as pessoas. Os economistas sabem como ressuscitar uma economia, sabem como reerguer uma firma. Mas os médicos não sabem como ressuscitar uma vida. Estamos num caminho perigoso. O sucesso da quarentena levou a um falso sentimento de segurança e esse sentimento está levando ao cenário que temos hoje. Isso terá uma grave consequência a cada um de nós. Espero que as pessoas que estejam desrespeitando a quarentena saibam da sua responsabilidade com as vidas que serão perdias”, finalizou Firmino Filho.

Por: Maria Clara Estrêla/Jornal O Dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *