Líder de bando que assaltou banco em Miguel Alves é condenado no Piauí

“Bicudo” também já havia sido condenado pelo juízo da Vara Única de Taperoá, na Paraíba, a mais de 7 anos. Ele foi preso em setembro do ano passado em Livramento (PB).

O juízo da 2ª Vara da Comarca de Valença do Piauí condenou nesta segunda-feira (25), Gildo Inácio da Silva, vulgo “Bicudo”, a mais de 10 anos de prisão pelos crimes de porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, receptação, tráfico de drogas e associação criminosa. Ele foi preso em setembro do ano passado em Livramento (PB), durante uma operação do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO) e da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil do Piauí.

Ao Meionorte.com, o delegado Tales Gomes, do Greco, destacou que “Bicudo” também foi condenado no fim do mês de abril deste ano, pelo juízo da Vara Única de Taperoá, na Paraíba, a mais de 7 anos, por ser o líder do bando criminoso que invadiu Miguel Alves em outubro de 2020 e roubou uma agência bancária do Banco do Brasil.

Já na decisão da 2ª Vara da Comarca de Valença, proferida pelo juiz Franco Morette Felício de Azevedo, aponta que segundo a denúncia substitutiva, no dia 31 de julho de 2021, por volta das 22 horas, outros dois denunciados, João Romão de Lima e Mauricio Leite Alves, foram presos durante uma abordagem da PRF-PI no município. Eles estavam transportando 48 artefatos explosivos, conhecidos como “bananas de dinamites”, sem autorização ou em desacordo com determinação legal, ou regulamentar. 

Ainda de acordo com a acusação, o Greco, em conjunto com o Instituto de Criminalística, ao realizarem buscas no interior do veículo VW GOL, placa PST-5E30, conduzido por Maurício Leite Alves, tendo como passageiro João Romão de Lima, encontraram no dia 2 de setembro de 2021, o material listados como: um fuzil AK47, calibre 7.62, numeração A 165645; 10 carregadores de fuzil calibre 7.62; 300 munições calibre 7.62; 23 emulsões explosivas; 04 rolos de cordel detonante, armas e munições de uso restrito.

Material interceptado e localizado pela Polícia Civil (Foto: Divulgação)Material interceptado e localizado pela Polícia Civil (Foto: Divulgação)

Posteriormente, dada continuidade as investigações pela GRECO, foi efetuada a prisão de Gildo Inácio da Silva, na zona rural do município de Livramento (PB). E diante da apreensão, considerando também que um número telefônico utilizado em um aplicativo de mensagens pertencente à Gildo Inácio, é o mesmo que estava vinculado ao denunciado João Romão, foi demostrado o elo entre os denunciados, quanto ao transporte de armas, munições e explosivos apreendidos. “Conseguimos provar que esse carregamento seria o Bicudo executar estouros aqui no Piauí. Ontem ele foi condenado a 10 anos de prisão pela Comarca de Valença. Trabalho de investigação feito pelo Greco”, destacou o delegado.

A pena então de “Bicudo” foi fixada em 10 anos de reclusão e 90 dias-multa. A pena privativa de liberdade deve ser cumprida em regime inicial fechado, conforme determina o artigo 33, §2º, “a”, do Código Penal, considerando se tratar de réu reincidente e infrações hediondas. Ele tem vasto histórico criminal de roubo a banco, com prisões em vários estados da federação, com destaques para roubo a banco em Luzilândia, ocasião em que o gerente foi morto, Miguel Alves duas vezes e resgate de presos do 22° DP.

Por Meio Norte

 

WhatsApp do Portal Saiba Mais: (89) 99922-3229

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.