Operação integrada, PM de Picos e PC do Pernambuco prende homicida que se escondia no interior do Piauí

Homicida possuía dois mandados de prisão em aberto.

Uma Força-Tarefa composta por Policiais Militares do 4º BPM (lotados no GPM de Vera Mendes), do 20º BPM (Paulistana-PI) e por Policiais Civis da 25ª Delegacia de Homicídios da Cidade de Petrolina-PE efetuou, na manhã deste dia 30/10/2020 a prisão do nacional de iniciais V.E.S., de 46 anos, natural de Itainópolis-PI, por força de dois Mandados de Prisão Preventiva em aberto, expedidos pela Vara do Tribunal do Júri da cidade de Petrolina-PE nos anos de 2009 e 2018, em decorrência da prática de dois homicídios.

A referida operação foi idealizada quando, por volta quatro semanas atrás, os Comandantes do 4º BPM (sede em Picos) e do 20º BPM (sede em Paulistana-PI) foram contactados pela Inteligência da PCPE dando conta das suspeitas de que o alvo dos MPs estaria escondido no interior do Piauí, mais precisamente na cidade de Vera Mendes, área do Batalhão de Picos. De pronto, articulou-se a operação e passou-se aos levantamentos prévios para localizar V.E.S..

Vivendo em situação de normalidade plena, inclusive respondendo a processos judiciais recentes na justiça piauiense (TCO e posse ilegal de arma de fogo), o procurado foi encontrado em sua casa e não ofereceu resistência quando lhe foi dada “voz de prisão”.

Em conversa com os policiais o capturado confessou ainda que foi autor de um homicídio praticado da cidade de Picos-PI no ano 2000, quando, segundo a versão dele, teria se vingado de um desafeto em decorrência de uma surra que levou num jogo de futebol dias antes da prática do homicídio. Revelou que por este crime permaneceu preso cerca de dois anos. Em relação aos crimes objetos dos mandados disse que os mesmos foram em situações de briga e os cometeu para se defender.

“Sem dúvida, trata-se de indivíduo nocivo ao convívio social porque revela uma personalidade desequilibrada e extremamente impulsiva e agressiva, haja vista o histórico de crimes praticados por motivos fúteis, donde havia a extrema necessidade da prisão para a aplicação das medidas punitivas cabíveis”.

“Graças às boas relações de confiança profissional entre os membros das instituições envolvidas foi possível realizar a operação cujo levantamento prévio foi realizado pela PMPI, com os policiais do 4º e do 20º BPM”, bem frisou o Major Felipe, Comandante do Batalhão de Picos.

Por Folhaatual

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *