Oposição pede a anulação da eleição em Dom Expedito Lopes por suposta compra de voto

Coligação Resgatar A Verdade E O Compromisso teve acesso a uma gravação onde o prefeito, Valmir Barbosa, supostamente oferecia benefícios, financeiro e político, a eleitores em troca de apoio.

A coligação “Resgatar a verdade e o compromisso”, que teve como candidato a prefeito no município de Dom Expedito Lopes o empresário, Dannúbio Araújo (Progressistas), entrou com uma de Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE), na o Cartório Eleitoral da 62ª Zona Eleitoral contra o prefeito reeleito, Valmir Barbosa (Republicanos) e a vice-prefeita eleita, Evanil Conrado (Republicanos), por suposta capacitação ilícita de sufrágio, mais conhecida popularmente como compra de voto.

Na ação impetrada pelo advogado, Luís Francivando Rosa Da Silva, no último dia 23 de novembro,é pedido ao Juiz Eleitoral da 62ª Zonal Eleitoral de Picos, Adelmar de Sousa Martins, a cassação do registro ou do diploma de Valmir Barbosa e Evanil Conrado, a anulação das eleições municipais bem como a realização de uma nova eleição majoritária.

Conforme consta na AIJE apresentada a Justiça Eleitoral, no último dia 14 de novembro, um dia antes das eleições municipais, Valmir Barbosa teria supostamente ido pessoalmente a casa de um eleitor, identificado como Weliton Soares Dos Anjos, oferecer benefícios a ele e sua esposa em troca de votos.

“Tendo ouvido conversas durante toda a campanha, que o Requerido estaria comprando votos, o Sr. Weliton Soares dos Anjos resolveu gravar a conversa. Após o Requerido expor a sua condição de candidato ao cargo de Prefeito, deu a quantia de R$ 2.000,00 (dois mil reais), e ofereceu a prestação de um serviço elétrico em favor da residência do Sr. Weliton, em troca do seu voto e de sua esposa, a Sra. Lucimar Lima Leal Soares”, consta na denúncia.

(Foto/ Reprodução/ Transcrição de trecho da suposta gravação que gerou a denúncia)

Ainda de acordo com a Ação de Investigação Judicial Eleitoral apresentada pela coligação “Resgatar a verdade e o compromisso”, após ver confirmada a suposta prática ilícita o senhor Weliton teria buscado orientação jurídica e entregado a conversa gravada, de 35 minutos e 20 segundos, ao Ministério Público Eleitoral, por meio de uma notícia-crime.

Na AIJE, além de captação ilícita de sufrágio e abuso de poder econômico, a coligação da oposição acusa o prefeito de Dom Expedito, de abuso de poder político, por oferecer a prestação de um serviço elétrico em favor da residência do senhor Welinton, por meio da administração pública.

“Desta forma, todos os requisitos exigidos para configurar o abuso de poder político estão presentes nos autos, pois o Requerido era agente público (Prefeito) e utilizou da Administração Pública para o seu benefício eleitoral, em busca da sua reeleição, violando a legitimidade e normalidade do pleito e, também, o princípio da isonomia entre os concorrentes, amplamente assegurados na Constituição”, pontuou a assessoria jurídica na Ação de Investigação impetrada.

(Foto/ Reprodução/ Transcrição de trecho da suposta gravação que gerou a denúncia)

Por fim a coligação que tinha como candidato a prefeito, Dannúbio Araújo, pediu a Justiça Eleitoral a notificação de Valmir e Evanil, a realização de audiência de instrução e julgamento, a fim de ouvir as testemunhas Wellington Soares dos Anjos e Lucimar Lima Leal Soares, a manifestação do Ministério Público Eleitoral, a cassação do registro ou do diploma, a anulação das eleições municipais de 15 de novembro em Dom Expedito Lopes e a realização de uma nova eleição majoritária.

(Foto/ Reprodução Instagram/ Prefeito foi reeleito)

Outro lado:

Nossa reportagem não conseguiu localizar o prefeito reeleito, Valmir Barbosa (Republicanos) nem a vice-prefeita reeleita, Evanil Conrado (Republicanos), nem suas defesas para comentar a denúncia que consta nesta Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE).

Cópia da denúncia

(Foto/ Reprodução/ Cópia da denúncia impetrada pelo advogado da coligação “Resgatar a verdade e o compromisso”)

Processo:

(Foto/ Reprodução/ Proceso protocolado junto a Justiça Eleitoral)

Fonte: Câmara de Vereadores de DEL 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *