Pandemia provoca redução de 50% de doação e Hemopi entra em estado de alerta

O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Piauí (Hemopi) faz um apelo que os doadores compareçam aos bancos de sangue do Estado.

O diretor do Hemopi, Jurandir Martins, disse  que o Hemopi está em “estado de alerta” e que o número de doações de sangue durante a pandemia de Coronavírus reduziu 50%.

Antes dos registros dos casos de Covid-19, o Hemopi recebia uma média de 4 mil doações mensais. Agora, o número caiu para 2 mil.  Neste mês de Junho,o Junho Vermelho, o Hemopi realiza uma série de ações para atrair novos doadores e desmistificar a doação de sangue.

“A gente aproveita para dizer que não temos evidência de contágio do coronavírus através da transfusão  de sangue e durante a doação de sangue estamos obedecendo as medidas sanitárias e o processo de doação de sangue está seguro”, ressalta o diretor Jurandir. Inclusive, uma cabine de desinfecção foi instalada na frente do Hemopi.

O procedimento para doação de sangue é simples, rápido e totalmente seguro. O Hemopi buscou reforçar parcerias com a Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Exército e associações já que, com a medidas de isolamento, torcidas organizadas, faculdades, escolas e empresas, que mantinham doações  constantes, estão fechadas com o funcionamento reduzido.

 “Estamos em estado de alerta e precisamos de doações.  Devido às medidas de isolamento social,  como fechamento do comércio e as medidas de proteção da população, diminuiu muito as doações. Defendemos as medidas de isolamento social  e as pessoas só devem sair de  casa em extrema necessidade, como é o caso doação de sangue”, esclarece o diretor.

Homens gays

O diretor adiantou que, a partir desta semana, homens gays doações de sangue de homens gays serã aceitas no Hemopi. A autorização acontece  após decisão histórica do Supremo Tribunal Federal.

“Nesta semana vamos no adequar e homens gays poderão se candidatar a doar sangue. O Ministério da Saúde já publicou portaria autorizando a adequação à legislação”, disse o diretor.

Neste mês também é promovida a campanha Junho Laranja, dedicado ao combate à Leucemia. Segundo a última pesquisa do Instituto Nacional de Câncer (INCA), para cada ano do triênio 2020/2022 devem ser diagnosticados no Brasil 5.920 casos novos de leucemia em homens e 4.890 em mulheres. Esses números correspondem a um risco estimado de 5,67 casos novos a cada 100 mil homens e 4,56 casos novos para cada 100 mil mulheres.

Carmen Campelo, presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer (RFCC-PI), destaca que é fundamental que ações nesse formato aconteçam como forma de combater a doença e ajudar todos que precisam receber transfusões. “É um mês com ações voltadas tanto para o combate à leucemia quanto para o reforço da doação de sangue. Precisamos que cada vez mais pessoas se tornem doadoras para ajudar pessoas que estão em tratamento ou mesmo que são vítimas de acidentes. Boa parte da população está apta a doar. Então, antes de tudo, isso é um gesto de amor e cuidado com o próximo e até com nós mesmos”, comenta a presidente.

O técnico em edificações, Erison dos Santos, doador há três anos, reforça que doar sangue ajuda a salvar muitas vidas e que o mundo precisa de mais empatia. “Sempre gostei de ajudar o próximo. Preciso me colocar mais no lugar do outro, já que amanhã pode ser eu que precise de sangue. Recentemente, também me tornei doador de medula e a sensação de saber que estou fazendo um bem enorme a uma pessoa, me alegra e me conforta. A doação representa um ato de amor, de solidariedade e humildade”, compartilha.

Critérios
Os requisitos básico para doar sangue é estar com bom estado de saúde e:

Pesar mais de 50 Kg
Ter idade entre 18 a 69. Menores de idade precisam de termo de autorização
Apresentar documento com foto
Estar alimentado. Evite alimentos gordurosos nas 3 horas que antecedem a doação de sangue.
Caso seja após o almoço, aguardar 2 horas.
Ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas.
Pessoas com idade entre 60 e 69 anos só poderão doar sangue se já o tiverem feito antes dos 60 anos.
A frequência máxima é de quatro doações de sangue anuais para o homem e de três doações de sangue anuais para as mulher.
O intervalo mínimo entre uma doação de sangue e outra é de dois meses para os homens e de três meses para as mulheres.

O diretor Jurandir Martins informou, ainda, que para incentivar a doação neste mês de Junho, o aplicativo 99 está fazendo corridas gratuitas para o Hemopi. As doações podem ser feitas de segunda a sexta-feira. Na manhã o horário de funcionamento é de 8h às 12h e à tarde de 13h às 17h.
As doações acontecem sem agendamento. Mas, quem ainda assim quiser agendar, pode entrar em contato com os bancos de sangue dos Estado através dos telefones:

Teresina 86 98894-6614
Parnaíba 86 9 8894-7159
Picos 89 98801-1717
Floriano 89 98801-1984

 

Fonte Cidade Verde

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *